2016/11/29

Reino Unido aprova lei "Big Brother"


Em 1949 George Orwell alertava-nos para os perigos de um mundo onde os cidadãos estavam sob constante vigilância com o seu célebre Nineteen Eighty-Four, menos de um século depois os seus receios parecem tornar-se realidade com a aprovação de uma nova lei no Reino Unido que põe em risco a privacidade de todos.

A lei que os defensores da privacidade mais temiam foi aprovada esta semana, tornando o Reino Unido num dos países que mais poderá espiar os seus cidadãos - sem que sequer seja necessário fazê-lo de forma secreta, como vai acontecendo nos bastidores até que seja revelado por pessoas como Edward Snowden, pois agora todo o tipo de abusos passam a ser perfeitamente legais.

Ainda antes do final do ano, todos os operadores de telecomunicações e acesso à internet serão obrigados a guardar o histórico de todos os sites que os seus clientes visitarem, e manterem esses dados durante 12 meses e facilitarem esses dados à polícia, serviços de segurança e demais entidades oficiais. Também são dados novos poderes às autoridades para que possam fazer hack de computadores e smartphones com vista à recolha de dados.

Os propoenentes e apoiantes desta lei dizem que tal é necessário para "garantir a segurança num mundo em que os terroristas tiram partido da internet"; os opositores relembram que a aprovação desta lei num país ocidental dito civilizado vem apenas dar uma desculpa para que outros países com regimes opressivos utilizem leis idênticas para perseguir todas as vozes que queiram silenciar, dizendo "o Reino Unido também tem estas leis, não estamos a fazer nada que eles já não façam!"


Na prática, este lei vem apenas tornar ainda mais fácil abusar da informação que anteriormente estava apenas ao alcance de serviços como a NSA e o GCHQ. Agora, para além desses poucos espiões que podiam brincar ao Big Brother e espreitar a vida de quem quisessem, todos os polícias e demais agentes oficiais poderão divertir-se a ver o que é que os seus vizinhos, familiares, amigos e inimigos, fazem na internet.

Esperemos apenas que não se esqueçam da possibilidade dos tais "terroristas" que tanto os preocupam poderem não estar a usar a internet, ou usarem-na de forma a que escape a este controlo. E isso aliás, é algo que me parece que muitos dos cidadãos comuns se poderão sentir tentados a fazer. Com a entrada em vigor desta lei parece-me completamente lógico que se assista a um aumento significativo do número de pessoas a utilizar VPNs para aceder à internet... e a uma aposta ainda mais forte no desenvolvimento de serviços capazes de resistir a este tipo de abusos.

2 comentários:

  1. Qualquer dia vai ser proibido o uso de VPN, ou então terem de ter um backdoor para serem escutados!

    ResponderEliminar

[pub]