2016/12/09

Doom segue-se a Inside e remove protecção Denuvo


O sistema de protecção anti-pirataria Denuvo poderá ter que rever o seu modelo de negócio, após vários jogos terem removido o seu sistema, aparentemente ao abrigo de uma cláusula de devolução do dinheiro caso fossem pirateados.

O Denuvo apresenta-se à indústria como sendo "incrackável", mas vão sendo cada vez mais os jogos com este sistema que vão surgindo nas redes pirata, e de forma cada vez mais rápida.

Depois dos criadores do jogo Inside terem revelado que iriam remover o Denuvo após o seu jogo ter sido crackado meras seis semanas após o lançamento, é a vez do clássico Doom seguir o mesmo caminho, embora neste caso tenha demorado quatro meses a ser crackado.

O facto dos developers estarem a ter o trabalho de remover o sistema de protecção pelo qual pagaram centenas de milhares de dólares faz pensar que isso se deverá a uma cláusula de devolução do dinheiro no caso do sistema de protecção não conseguir realmente proteger o jogo por um período pré-determinado. Se tal se vier a confirmar, parece que a Denuvo terá que refrear um pouco as suas promessas e passar oferecer garantias por um período bastante mais reduzido (talvez apenas um mês)... ou deixar de as fazer.

... Como sugestão, deixo aos estúdio a ideia de que canalizem essas centenas de milhares de euros para melhorar a comunicação e relação que têm com os fãs, e de lançarem os jogos a preços mais acessíveis que tornem obsoleta a pirataria. Nem me chateava nada a ideia dos preços diferenciados por tempo no lançamento (quem quisesse na primeira semana pagava X, quem comprasse ao fim de um mês já pagaria um preço mais reduzido, novo desconto ao final de três meses, etc. etc.) Com preços altos, para além da pirataria, só fomentam a proliferação do mercado paralelo, com as lojas que vendem estes jogos novos a preços substancialmente reduzidos... e a que é difícil resistir.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]