2017/01/30

Notícias falsas serão cada vez mais difíceis de detectar


As últimas eleições presidenciais norte-americanas vieram dar protagonismo redobrado às notícias falsas, mas há quem já vá alertando que nos próximos anos as coisas ficarão ainda pior... graças à ajuda da tecnologia.

Neste momento temos que lidar com centenas ou milhares de sites que se aventuram no lucrativo negócio das notícias falsas, e onde tudo o que é necessário é ter a imaginação para escrever alguns parágrafos e arranjar algumas fotos sacadas da internet para ilustrar a notícia. Embora já seja suficiente para enganar quem quiser ser enganado, não é (ainda) demasiado difícil investigar um pouco para determinar a veracidade da mesma. Mas... e se em vez de uma foto genérica se tivesse um vídeo que mostra a pessoa em causa a dizer aquilo que vem na notícia?

É isso que já se vai temendo para a próxima geração das notícias falsas, graças às tecnologias que facilitam a manipulação de som e imagem.

Manipular e adulterar vídeos e gravações é algo que não é recente, mas que normalmente implicava o acesso a especialistas e tecnologias que não estavam ao alcance de todos. Actualmente, essas ferramentas vão ficando cada vez mais acessíveis, e com resultados que vão sendo cada vez mais indistinguíveis dos reais.





Num futuro não muito distante, será simples para qualquer pessoa pegar numa figura pública e criar um vídeo onde a mesma diga o que se quiser que ela diga, de modo suficientemente realista para enganar não só todos aqueles que já podem ser iludidos com simples notícias falsas em texto, como também até causar dúvidas em todos os que estariam mais predispostos para não acreditar nas mesmas.

Parece-me ser mais que claro que a única "guerra" que interessa para o futuro é o da educação... e o de garantir que todos os cidadãos tenham o bom senso e a capacidade de não acreditarem em tudo o que lhes seja atirado para a frente dos olhos.

2 comentários:

  1. Compete ás grandes empresas como a Google, Facebook, Apple e Microsoft combaterem isto. Se não tivessem estado a dormir estes esquemas não tinham ganho popularidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não tivesses nascido não dirias uma barbaridade dessas.

      Eliminar

[pub]