2017/03/09

À conversa com Christophe Coutelle sobre as novidades do Huawei P10


Por altura da apresentação do novo topo de gama da Huawei, tivemos oportunidade de falar com Christophe Coutelle, Chefe das áreas de marketing e desenvolvimento de software, que aprofundou um pouco mais algumas das novidades que o Huawei P10 apresenta em termos de software.

Como já tivemos oportunidade de referir, a interface EMUI 5 lançada com o Mate 9 foi um marco importante em termos de software para a Huawei, estando neste momento já disponível em 12 milhões de equipamentos, entre os quais se encontram o P9, Mate 8, Nova e Honor 8, com o feedback dos utilizadores a ser bastante positivo.

Segundo Christophe Coutelle, com o P10 e a EMUI 5.1, a aposta centra-se no desenvolvimento desta interface, assentando a mesma em três eixos: experiência de utilização, novas funcionalidades e desempenho, com intervenções de baixo nível.

Experiência de utilização

Os temas e os ícones passam a estar em concordância com a cor do equipamento, mas a alteração mais importante é o botão frontal que incorpora o sensor de impressão digital, até agora presente na traseira do equipamento. Com um toque temos o voltar atrás, o toque mais prolongado leva o utilizador para o ecrã principal e o swype lateral chama as aplicações a correr.

Desempenho

Com a EMUI 5.0 foi apresentada um algoritmo de inteligência artificial capaz de atribuir o processamento do CPU de acordo com o padrão de utilização. No 5.1 o foco foi o ecrã (ultra response) e a memória (ultra memory).

Relativamente a esta última, a Huawei implementou alterações no kernel de forma a conseguir reciclar a memória de forma mais rápida, garantindo que estará disponível quando for necessária. A compressão da memória é feita de acordo com a informação recolhida pelo algoritmo, não sendo feita da mesma forma para todas as apps. Factores que são tidos em consideração são os padrões de utilização, importância da app, e também a capacidade disponível no sistema.

A ultra response está ligada à resposta do ecrã. A Huawei alterou o driver que controla o ecrã, conseguindo um desempenho mais rápido e implementou uma tecnologia que baptizou de "predictive finger tracking". Quando o utilizador move o dedo no ecrã, o algoritmo é capaz de prever para onde o dedo se vai movimentar a seguir, o que torna a experiência de utilização mais fluída. Por exemplo, no movimento de scroll de uma página, o algoritmo detecta o movimento e antecipa a execução da acção.

Novas funcionalidades

O Highlights foi desenvolvido em parceria com a Go Pro para disponibilizar uma nova forma de consultar a galeria. Para isso foi criada um novo separador chamado "Discover", que apresenta as imagens organizando-as por locais, eventos ou pessoas. O algoritmo corre localmente, quando o telefone está a carregar, para não interferir com a utilização do equipamento.

Estas funcionalidades deverão ficar disponíveis para os terminais a correr EMUI 5.0, mas a Huawei ainda esta preparar a actualização dos equipamentos, não havendo ainda previsão quanto à data para a sua disponibilização.


Tivemos ainda oportunidade de questionar Christophe Coutelle sobre os assistentes pessoais, que nos disse que a  Huawei está a estudar todas as alternativas, não havendo ainda uma decisão sobre qual a solução a implementar. Há contudo a noção que se trata de um tema importante, sendo por isso merecedor da maior atenção por parte da marca.


Os nossos agradecimentos a Huawei por esta oportunidade de ficarmos a conhecer em maior detalhe as novidades do EMUI 5.1.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]