2017/03/30

Apps Android têm que se adaptar aos ecrãs esticados

A chegada de smartphones como o LG G6 e Galaxy S8 com os seus ecrãs mais esticados vai obrigar a que os developers tenham um pouco mais de cuidado para aproveitar o espaço extra da melhor forma.

Depois de anos habituados a lidar com ecrãs de formato 16: 9 e onde a única variante era a possibilidade de ter uma barra com botões virtuais na parte inferior, a Google vem chamar a atenção dos developers para que deverão ajustar as suas apps de forma a tirar partido da área total de ecrã.

O processo não dá muito trabalho aos developers, bastando que indiquem que as suas apps suportam um aspecto de ecrã em formato mais "esticado"; o problema é que se não o fizerem, o valor assumido por omissão limita a área das apps a uma relação de 16:9, fazendo com que as apps surjam com barras pretas em cima e em baixo quando executadas em smartphones como o G6 (com ecrã de 18:9) ou o Galaxy S8 (18.5:), e previsivelmente outros que chegarão ao mercado nos próximos meses.

É o mesmo tipo de situação pelo qual os developers já passaram no iOS, quando os iPhone viram o formato do ecrã crescer, e que na plataforma da Apple não causou grandes transtornos. Esperemos que no Android o processo decorra de forma idêntica - pois ninguém gostará de comprar um smartphone com ecrã super-grande... para depois ver apps que apresentam barras pretas a ocupar espaço útil.

2 comentários:

  1. não percebo esta noticia... é a primeira vez que sai 1 telemóvel com 1 dimensão diferente? no Android sempre existiram telemóveis com ecrãs diferentes, e o ambiente foi desenhado mesmo para isso.

    Continuação de bom trabalho Carlos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas tem sido sempre com formatos iguais ou inferiores a 16:9, e é esse o valor default assumido como máximo para as apps (levando à apresentação de barras pretas em ecrãs mais esticados).

      Os developers só têm que acertar o limite máximo para permitir estes formatos mais esticados.

      Eliminar

[pub]