2017/03/22

"SPA" grega em apuros após roubar milhões aos artistas


A AEPI é a entidade grega que gere as questões dos direitos de autor dos artistas e o pagamento dos devidos royalties, mas uma auditoria vem que revelar que há dezenas de milhões de euros que nunca chegaram aos artistas... enquanto que o presidente da associação mantinha um ordenado escandaloso de 52 mil euros por mês.

As dúvidas sobre o funcionamento da AEPI já vêm de trás, e em 2015 foi o próprio Ministério da Cultura grego que ordenou uma autoria. Auditoria essa que foi sendo atrasada sucessivamente pela recusa da entidade em dar acesso aos dados pedidos, e que só veio a ceder mais de um ano mais tarde, após ter sido multada e obrigada a fazê-lo.

O resultado da autoria não poderia ser pior, revelando irregularidades atrás de irregularidades, um défice de mais de 20 milhões de euros que impede a entidade de continuar a funcionar, a par de um ordenado milionário para o presidente, e também do pagamento de vários milhões de euros ao longo de vários anos para os principais dirigentes.

Quanto aos artistas que esta associação deveria representar e cuidar, o tratamento era bem diferente. No final de 2014 a AEPI já teria acumulado mais de 42 milhões de euros que lhes eram devidos, mas que nunca chegaram a ser entregues.

... Com entidades destas a proteger os artistas, acho que quase se justifica requalificar quem é que serão os verdadeiros "piratas"!



3 comentários:

  1. Eu pergunto-me se por cá não teremos situação parecida...

    ResponderEliminar
  2. nao!!!cá é só honestos que trabalham na dita cuja.

    ResponderEliminar
  3. Sempre ouvi dizer: "Anda meio mundo a enganar meio mundo."

    ResponderEliminar

[pub]