2017/06/20

OnePlus 5 vem com 6 e 8GB de RAM por €499 e €559


Aqui está o mais recente smartphone da OnePlus, que eleva as características - e o preço - para novos horizontes.

A apresentação do OnePlus 5 não revelou nada de surpreendente, já que muitos dos seus detalhes tinham sido anteriormente revelados por leaks ou informação dada pela própria OnePlus. O OnePlus 5 vem com um ecrã AMOLED Full HD de 5.5", CPU Snapdragon 835, 6/8GB de RAM, 64/128GB de flash, câmara traseira dupla de 16MP e 20MP (uma com lente grande-angular, outra com com lente telefoto), câmara frontal de 16MP, e bateria de 3300mAh.

Há melhorias no interior de coisas como o acesso à memória flash usando "dual-lanes" que prometem desempenho superior, e os 8GB de RAM, que se pensariam ser exagerados, parecem permitir uma fluidez ao nível do que melhor já se fez na plataforma Android (fica a questão sobre se tal não seria possível de fazer mesmo em smartphones com "apenas" 3 ou 4GB). Infelizmente, quanto ao desempenho do Snapdragon 835 não se podem tirar conclusões, pois a OnePlus optou pela ridícula táctica de fazer batota nos benchmarks, o que só vai penalizar a sua imagem junto dos utilizadores.


Quanto à câmara, será bom ver se este OnePlus 5 conseguirá destacar-se dos demais, mas as primeiras impressões referem que os resultados não estão a impressionar, particularmente a nível do processamento para gerar o efeito de fundo desfocado com grande abertura; mas teremos que esperar até que um nos chegue às mãos para o comprovar.

Os preços, como se temia, sobem novamente para outros patamares, com a versão de 6GB/64GB a custar 499 euros; e a versão de 8GB/128GB a custar 559 euros (sendo que obviamente se recomenda esta última para quem estiver a pensar comprar um). A grande questão é se conseguirá conquistar um mercado que vai ficando cada vez mais fascinado pelos modelos "sem margens"...

As vendas no site da OnePlus abrem no dia 27 de Junho, com algumas cidades europeias a terem direito a lojas pop-up só num dia (mas que não incluem Portugal).



P.S. Podem ficar com um voucher de €20 de desconto para usar em acessórios.

P.S.2. Podem comprar já hoje no site, usando o código "Clearer Photos"

9 comentários:

  1. "3 years in the making" mas não é waterproof? para mim é uma grande falha!

    e este preço? e mais uma aldrabice nas benchmarks? enfim!

    A unica coisa positiva deve ser a bateria...com um ecra 1080 vai durar!

    ResponderEliminar
  2. Já se compra o Samsung S8 por 570€.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onde? Parece-me uma boa oportunidade..

      Eliminar
    2. Por 579 na amazon.it
      https://www.amazon.it/dp/B06XWN7VCQ/ref=sr_1_1?s=electronics&ie=UTF8&qid=1498038576&sr=1-1

      Eliminar
    3. Por 570 em cinzento, 579 é em preto...

      Eliminar
  3. Só queria dizer que é importante, antes de mandar críticas sobre o benchmark "cheating", que se vá ler a resposta do Carl Pei. A Oneplus, segundo ele, apenas trata as aplicações de benchmarking como se fossem aplicações que consomem recursos intensivos, as in, jogos pesados. E para ser sincero, porque raio é que eu haveria de querer usar uma app de benchmarking se não fosse para testar os limites do telefone? Parece-me um bocado "purismo" do XDA vir mandar vir com este facto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma resposta de treta, e facilmente contrariada pelo facto de existirem outros benchmarks que também são "intensivos" e não têm igual tratamento de aceleração. Ou seja, é mesmo só para enganar nos benchmarks mais populares.

      Eliminar
    2. Para mim é tão legítimo como a Ferrari não aceitar que os carros sejam testados em qualquer pista ou limites máximos de velocidade em solo serem testados em condições muito especiais. Benchmarking é isso, é suposto testarem os telefones ao limite. Se reparares, eles não fazem overclocking ao "little core", apenas o pôem no máximo, para mim isso não é fazer batota. Seria se eles artificialmente aumentassem a frequência máxima, agora assim apenas estão a tirar partido da capacidade do processador.

      Agora, se me disseres que os testes de benchmarking deviam ser criados para testar "day to day usage", então ok, aí já não é realista por o telefone no máximo... Mas não me parece que seja posśivel fazer benchmarkins do género, pois a utilziação diária é completamente diferente de pessoa para pessoa.

      Eliminar
    3. O objectivo dos benchmarks é avaliar o desempenho do dispositivo nas circunstâncias em que ele funcionará no dia a dia. Estar a mudar essas condições seria o equivalente a considerar aceitável que se mergulhasse os smartphones em azoto líquido e se fizesse overclock dos mesmos para ver até quanto poderiam ir...

      Adoptar "acelerações" unicamente para um grupo específico de benchmarks é apenas e somente uma forma de tentar enganar o público; de outra forma, essas acelerações seriam aplicada de forma geral, independentemente do nome da app que se estivesse a correr.

      Em analogia automóvel, seria o mesmo que um Ferrari desse 300km/h quando fosse pilotado pela pessoa X, mas só desse 200km/h quando conduzido por qualquer outra pessoa, mesmo que fosse o melhor piloto do mundo a conduzir na estrada mais perfeita do mundo e a carregar ao máximo no pedal do acelerador.

      Eliminar

[pub]