2017/06/26

WhatsApp está a tornar-se na principal fonte de notícias em vários países


Pode parecer estranho que o WhatsApp esteja a roubar lugar ao Facebook como fonte de notícias, mas é precisamente isso que está a acontecer, sendo que em países como o Brasil e a Malásia, cerca de metade das pessoas já o fazem.

Embora o Twitter ainda domine em termos de informação "em tempo real", grande parte das pessoas mantém-se a par das notícias usando o Facebook. Mas, nalguns países, usar apps de mensagens para ler e partilhar notícias está a crescer a um ritmo alucinante. Na Malásia, 51% dos participantes neste inquérito (mais de 71 mil pessoas em 36 países) disse usar o WhatsApp para ver as notícias; e no Brasil esse número é de 46%.


Embora a utilização do WhatsApp para este efeito, nalguns mercados, possa ser ajudado pelo facto de ser uma app que tem direito a "tráfego incluído" em tarifários económicos, há também outros factores que contribuem para isso, como a procura por parte dos utilizadores de uma plataforma mais privada (com a confiança de que a encriptação das mensagens os manterá a salvo de potenciais represálias em países onde as vozes críticas podem dar direito a cadeia - ou pior.)

Também curioso é ver que para além da Malásia, Brasil, Chile, Singapura e Hong Kong, até a nossa vizinha Espanha parece estar a render-se ao WhatsApp para notícias, com um terço dos espanhóis neste inquérito a responder que sim.

Esta também poderá ser uma reacção ao fenómeno das fake news, que tem "poluído" as plataformas sociais como Facebook e que se tem demonstrado ser mais difícil de resolver do que se poderia pensar. Claro que também no WhatsApp se poderão partilhar notícias falsas, mas sendo um canal mais restrito, isso já dependerá principalmente daquilo que o utilizador quiser ver, e não tanto daquilo que o Facebook acha que deve recomendar.


Para mim, ainda continua a ser o Twitter a principal fonte de notícias, assim como espreitar as capas dos jornais (quando me lembro de o fazer). Apps de mensagens, ainda só uso mesmo para mensagens...  :)

2 comentários:

  1. WhatsApp uso pouco, e somente para mensagens. Mas no Telegram para além das mensagens uso bastante alguns bots (principalmente do Evernote) e alguns canais e grupos específicos.

    A generalidade das notícias "espreito" no Feedly, mas cada vez menos...

    ResponderEliminar
  2. Por acaso utilizo bastante o WhatsApp!

    Mas continuo sem perceber como é que o facebook consegue comprar WhatsApp e Instagram...aqui a UE não estabelece multas?

    Quer dizer...o facebook já é por si só a maior rede social do mundo!
    Comprar o instagram e WhatsApp e passar em branco...aqui não existe posição dominante?

    Se bem me lembro a Google foi proibida de comprar o Twitch porque já tinha o Youtube!

    ResponderEliminar

[pub]