2017/07/15

Partilha de passwords dos serviços de streaming é cada vez mais comum


A tendência para a partilha das passwords de acesso aos serviços de streaming pagos tem vindo a aumentar, e já representa 20% na faixa etária dos jovens adultos.

Depois de na adolescência se pensar que se tem direito a tudo de forma gratuita, a entrada no mundo do trabalho faz com que se comece a dar maior valor à simplicidade das coisas, com a maioria das pessoas a não se importar de pagar por um serviço que considere ser merecedor do seu dinheiro.

Ainda assim, há limites para tudo... uma pessoa poderá pagar pelo acesso à internet, por uma centena de canais de TV (dos quais não se consegue livrar, mesmo que quisesse), por mais alguns canais extra, e até subscrever um serviço de streaming de filmes e música - estilo Netflix e Spotify... mas será exagerado pensar que irá subscrever muito mais que isso... daí a utilização de técnicas alternativas, como a partilha de passwords.

Um serviço que custe 5 ou 10 euros pode não ser caro... mas será ainda mais atractivo se se puder dividir esse valor por dois ou por quatro (dependendo do número de pessoas que podem aceder simultaneamente).


Neste momento a maioria dos serviços ainda não se tem preocupado muito com isto (excepção para a modalidade familiar do Spotify, em que já tive vários amigos a receberem avisos de que a conta está a ser usado por pessoas fora do agregado familiar e a cortar o acesso), mas é de esperar que, caso isto se comece a tornar ainda mais popular. Se na faixa etária com mais de 35 anos a partilha de passwords para estes serviços é inferior a 10%, na dos 25-34 anos já sober para os 15%, e supera os 20% entre os 18-24 anos.

... Resta-nos esperar que se encontre um equilíbrio... antes de se começarem a aplicar restrições que irão penalizar os clientes legítimos e que apenas querem usufruir destes serviços em circunstâncias perfeitamente normais... sem serem acusados de que estão potencialmente a partilhar a passwords com pessoas de fora do seu agregado familiar (por exemplo, alguém que passe a semana a trabalhar/estudar fora e só regresse a casa ao fim-de-semana ou quinzenalmente...)

3 comentários:

  1. Eu partilho a minha password na Netflix com um amigo que mora em Miami... e se tiver problemas mudo para o plano base (tenho o Premium), e eles é que ficam a perder!

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Tenho uma conta da Netflix partilhada, e por muito que custe, se eles deixarem de permitir a partilha vou fechar a conta. O spotify e Netflix não são caros, nos é que não recebemos o ordenado de um alemão, mas os serviços tem o mesmo preço.

    ResponderEliminar

[pub]