2017/07/22

Verizon apanhada a fazer throttling de vídeo


Numa altura em que nos EUA se lida com o potencial fim da neutralidade da internet, eis que os operadores não hesitam em mostrar como as coisas podem ficar: com a Verizon a limitar a velocidade de acesso ao serviços de streaming de vídeo como a Netflix e YouTube.

Os clientes da Verizon que facilmente atingem velocidades de 50 ou 80Mbps nos seus smartphones, têm-se deparado com a infeliz situação de apenas conseguirem ver vídeos com qualidade reduzida, ou que frequentemente sofrem pausas e engasgos. Depois de alguns testes, descobriram que, quando estão a aceder ao streaming de vídeo, a sua velocidade fica limitada a um máximo de 10Mbps - sendo facilmente comprovada através do uso de VPNs, com as quais passam a ter vídeo sem problemas e sem qualquer limitação de velocidade.

A parte mais curiosa é que a Verizon não considera isto como uma limitação, mas sim como sendo apenas o resultado de um teste de "optimização de vídeo" e que não deverá ter impacto perceptível na visualização de vídeos... Aparentemente esquecendo-se que, se é verdade que 10Mbps deverá ser suficiente para a grande maioria dos vídeos que se vêem no ecrã do smartphone, já não o será no caso de se estar a utilizar o smartphone para ver vídeos Full HD com alta-qualidade (por exemplo, para serem exibidos num televisor).

Legalmente, a Verizon deverá estar descansada, pois a entidade reguladora (a FCC) tem por norma permitido a limitação da qualidade de vídeo no serviço de dados móveis, desde que essa regra se aplique a todos os serviços e não apenas a alguns específicos - mesmo que isso vá contra a regra de que todos os dados deveriam ser tratados da mesma forma. Mas, com a FCC a ter mudado de rumo, este tipo de situações corre o risco de se tornar cada vez mais frequente.. sempre com a desculpa de que são apenas ferramentas de "optimização" que beneficiarão os clientes - impedindo-os de usar as suas ligações como bem entendem.

... Isto num operador que ainda há poucos meses garantia que "não interferia" de qualquer forma com os streamings de vídeo, e que se limitava a servir de canal de comunicação entre o serviço e o cliente final.

1 comentário:

[pub]