2017/08/26

Engenheiro da VW condenado a 40 meses de prisão pelo caso dieselgate


A VW bem que quer fazer esquecer o caso dieselgate, mas as repercussões continuam a fazer-se sentir, e desta vez com uma decisão que poderá vir a afectar todos os programadores que se limitam a fazer o que lhes mandam.

A desculpa ou justificação de que apenas se fez algo por ordens superiores não parece ter convencido os juízes norte-americanos, que condenaram o engenheiro James Liang da VW a 40 meses de prisão.

A defesa argumentou que este engenheiro apenas se limitou a fazer o que tinha que fazer para cumprir os objectivos e exigências que vinham "de cima", e que deveria ter uma pena mais leve com prisão domiciliária, mas os juízes consideraram que a sua participação num esquema que deliberadamente visava enganar os testes de emissões, ao longo de anos, não merecia qualquer simpatia.

Embora neste caso não me pareça haver dúvidas de que se trata de um caso grave (e que todos os crimes ambientais fossem perseguidos da mesma forma!) é também certo que levanta questões quanto a quem deveria ser realmente responsabilizado, e de preferência com penas exemplares. Vamos ver que tal as coisas correm para os executivos de topo que ainda têm que comparecer em tribunal... mas seria caricato vê-los livrarem-se de penas mais pesadas, dizendo que apenas tinham pedido aos engenheiros para resolverem o problema das emissões, mas que não faziam ideia de que isso tinha sido conseguido com "batotas"!

5 comentários:

  1. O julgamento foi em Detroit. Li o que escreveu a Reuters e convém não cair na posição simplista - o post não cai: "Quando a onda bate quem se lixa é o mexilhão". Ou seja, fabricaram um culpado e os verdadeiros responsáveis (os administradores da VW) e a empresa escapam.
    A empresa já foi condenada a pagar milhares de milhões de dólares e há 7 executivos da VW dos EUA acusados a aguardar julgamento. De facto, como diz no post, vai ter interesse ver se os executivos alegam que a culpa é dos engenheiros e que pena apanham.

    Agora, a defesa do engenheiro "Apenas cumpri ordens, a responsabilidade não é minha", acho bem que não pegue - ninguém está obrigado a cumprir ordens ilegais. "Ah, mas tadinho, se não cumprisse as ordens era despedido!". Ossos do ofício, mas cumprir ordens não é uma esponja para tudo.

    ResponderEliminar
  2. Fazendo um paralelismo com a II Guerra Mundial, se não fizeres batota nas emissões vais para a Frente Oriental. Mas nenhum oficial foi para lá.....

    ResponderEliminar
  3. Não me parece justo alguém ser condenado na América por não cumprir com as regras de poluição,quando o Presidente Trump desvaloriza totalmente o assunto.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

[pub]