2017/09/07

Cinema LED Screen da Samsung leva qualidade "OLED" aos cinemas


A Samsung quer acabar com os projectores nos cinemas e trocar as telas por ecrãs gigantes LED, e quem já teve oportunidade de ver um filme numa destas salas já não quer outra coisa.

O Cinema LED Screen da Samsung troca as telas e projectores por um ecrã LED modular que permite atingir uma resolução 4K (4096x2160) num ecrã com mais de 10 metros de largura. O resultado final são imagens com luminosidade até 10x superior à dos projectores convencionais, e com contraste "infinito", já que o nível de negro é realmente "negro" - à semelhança do que acontece num ecrã OLED.

Na verdade é precisamente isso que acontece: transportar para a escala do cinema a mesma qualidade que um número crescente de pessoas vai tendo em casa com televisores OLED, e que começam a ficar cada vez mais críticas quanto à (falta de) qualidade da imagem nos cinemas. Mesmo com a transição para os projectores digitais, são poucos os cinemas que recorrem a projectores 4K, e ainda menos os que apostam em dispendiosos projectores laser - e mesmo esses não conseguem competir com um destes Cinema Screens da Samsung.


Por cá, esperamos apenas que alguns dos nossos cinemas também se deixem convencer por esta nova tecnologia como forma de atrair público interessado em ver cinema com qualidade (depois da aposta nas salas Atmos, IMAX e 4DX, parece-me que a aposta nestes ecrãs seria bem mais proveitosa) já que, ainda por cima, podem acabar por ficar mais económicos: estes ecrãs LED têm uma longevidade de mais de 100 mil horas, bastante superior à das lâmpadas dos projectores.

... Esperemos que seja para breve! E já agora... que tal começar a pensar numa versão de maior densidade para o mercado residencial, que permitisse comprar um ecrã "a metro" para preencher a parede? (Sendo modular, até era da maneira que se podia ir comprando mais um metro de ecrã a cada par de meses, para o ir expandindo conforme o orçamento disponível. :)


4 comentários:

  1. Ora boa tarde. Arranje-me aí 2 metritos de ecrã oled e uma nata sff. Já agora, isso fica por quanto? É que só tenho aqui 20€ na carteira.

    ResponderEliminar
  2. Os artigo que encontrei pela net apontam para 5000€

    ResponderEliminar
  3. Não esquecer quer o direct view LED aquece COMO O RAIO.
    Tem implicação directa na refrigeração da sala e para o conforto dos espectadores. Sem esquecer no pesadelo de ajustar a cor em cada tile, e de que os filés são independentes (e avariam de forma independente podendo fazer da tela uma manta de retalhos).
    Um projector laser fósforo custa uma fração do preço, não precisa de consumíveis por 20 mil horas e fica a fazer calor e barulho numa sala com refrigeração dedicada.

    Este artigo é uma boa propaganda de marketing para a Samsung que só quer vender LED. :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os LEDs aquecem, sim. Mas basta ver a evolução das coisas. Tive uma TV de retroprojecção: precisava de ventoinha (tal como os projectores); tive um Plasma, que já dispensava ventoinhas mas até se sentia o calor ao passar 1m à sua frente; tenho agora um LCD LED... que fica morno, mas aquece muito menos que todos os televisores anteriores.

      Os LEDs "aquecem" quando tens um único LED de alta potência, se tiveres os LEDs espalhados por uma grande área, esse aquecimento é automaticamente distribuído pela área. Para além do mais, não "projecta o calor"... pelo que será simples eliminar esse calor com ventilação pelo lado de trás.

      ... Para terminar, esqueceste-te do pequeno pormenor, de que nem mesmo um projector laser conseguirá competir com a qualidade de imagem de um destes sistemas: nem em contraste nem em luminosidade. E isso, por si só, parece-me ser o mais importante (vamos esquecer a parte das imagens potencialmente desfocadas, lentes e/ou telas sujas, etc.)

      Eliminar

[pub]