2017/10/28

Google passa a fazer pesquisas pelo local do utilizador e não pelo domínio utilizado


Se tinham por hábito saltar entre o Google de vários países (google.pt, google.com, google.fr, etc.) para acederem às versões localizadas, isso agora deixa de ser possível, pois o Google passa a ter em conta o local em que estiverem independentemente do domínio utilizado.

Quem preferir usar o Google.com para ter acesso ao Google em inglês a partir de hoje irá reparar que isso deixou de funcionar. Se estiver em Portugal, mesmo que aceda ao Google.com, Google.fr ou qualquer outro, continuará a ver a página do Google em português. Isto porque a Google decidiu mudar o sistema de localização, que agora passa a ignorar o domínio do país e passa a utilizar a detecção do local onde o utilizador está.

A ideia da Google é que um utilizador que viaje por diversos países não tenha que se preocupar em andar constantemente a mudar "o Google" utilizado para ter acesso aos resultados mais pertinentes para o local em que está; e de certa forma sou obrigado a concordar com essa lógica - mesmo se pessoalmente vai um pouco contra a minha utilização (já que tenho por hábito usar o Google em inglês no google.com, e quando queria algo mais localizado em Portugal dava um salto ao google.pt).


Felizmente a Google continua a dar aos utilizadores a possibilidade de definirem manualmente a localização pretendida, pelo que podem afastar os receios de que a partir de agora seria necessário usar uma VPN para o país em questão para se poder usar o Google "de lá".

Para mudarem essa localização têm que ir aos settings da página do Google e escolher a região pretendida. É um pouco mais inconveniente para quem mudava frequentemente de país de pesquisa mudando o domínio... mas pronto, já se sabe que contra a Google não há muitas hipóteses de discussão (e isto seguramente que vem também no seguimento das exigências de eliminar resultados das pesquisas para os países em questão...)

De forma mais imediata, se, como eu, usavam principalmente o Google dos EUA, significa que têm que ir aos settings do Google (tanto no browser como nos dispositivos mobile) e escolher o país de pesquisa como Estados Unidos, pois não bastará utilizar o google.com.

4 comentários:

  1. Olá carlos, isto vai lixar a vida aos tradutores, como é o caso da minha esposa, que vão andar constantemente a mudar as definições da google. Tens conhecimento de uma solução mais prática!?

    Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez abrindo páginas sob vários perfis diferentes no Chrome (ou em modo incognito no caso de bastarem 2)

      Eliminar
  2. Que treta... Cada vez menos o URL é considerado um ativo de valor na web...
    Estou a ver que terei que usar várias contas (em vez de várias sessões) para conseguir o que antes fazia apenas com a alteração do URL.
    E tudo isto porque há pessoas a viajar?
    Porque não colocar então isto como uma opção para quem viaja e deixar como estava para quem permanece no mesmo lugar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como disse, cheira-me a "treta" incentivada pelas chatices europeias (e não só) das coisas de apagar resultados e não facilitar o acesso à informação.

      Eliminar

[pub]