2017/11/27

Camião da Tesla e Roadster usam baterias "impossíveis"


A apresentação do camião da Tesla e do seu novo roadster surpreenderam tudo e todos, e alguns especialistas dizem que os números apresentados não fazem sentido e que não é possível ter baterias capazes de permitir aquelas prestações àqueles preços... pelo menos, não neste momento.

De um lado temos um um camião eléctrico que anuncia poder transportar 32 toneladas de carga por 800km sem recarregar (e com recarregamentos em 30 minutos); do outro, um Tesla Roadster de tamanho diminuto e que anuncia autonomia para 1000Km. São números que não coincidem com aquilo que seria possível obter usando as baterias actuais... e muito menos ao preço que estão a ser anunciados.

Para o camião estima-se que seja necessária uma bateria com capacidade entre 600kWh e 1000kWh, apontando-se para o meio, uma bateria de 800kWh actual seria algo para pesar 5 toneladas e custaria mais de 100 mil dólares - algo que tornaria impossível vender um destes camiões por 180 mil dólares, como acontece com a versão do camião capaz de fazer os (esperados) 800Km. Quanto ao Roadster, a dificuldade estaria em colocar uma bateria no volume reduzido que este super-carro disponibiliza.

Estará Elon Musk a tentar enganar todo o mundo, ou será que tem uma tecnologia revolucionária para as baterias?

O que poderá ser mais provável é que, ao estilo do que fez aquela companhia que promete aviões 100% eléctricos para a próxima década, também a Tesla esteja a anunciar prestações e desempenhos com base nas baterias que se espera vir a ter daqui por 2 e 3 anos.


O preço das baterias tem vindo a decrescer significativamente desde o início da década e continuará a fazê-lo pelos anos que se seguem e, não menos importante, em termos de densidade de energia, temos também tido uma evolução constante que permite aguardar, com relativa segurança, baterias bem mais capazes para 2020 (e que duplicarão essa capacidade até 2030 - nessa altura talvez permitindo os tais aviões 100% eléctricos).



Mas as perguntas e dúvidas não se ficam por aqui... pois até para os números apresentados para o recarregamento do camião da Tesla (recarga para 640Km em apenas 30 minutos) há quem diga não compreender como é que tal será possível.

Esperemos que Elon Musk possa elucidar tudo e todos daqui por 3 anos... Mas até lá, que nos demonstre a capacidade de fazer chegar o Model 3 a todos os clientes que já pagaram por eles. :)

8 comentários:

  1. Assumir que a densidade alterar vai continuar no mesmo ritmo que tinha é simplesmente estúpido. Neste momento está muito mais dinheiro nessa investigação do que alguma vez esteve.

    E o gajo também está a assumir que a quantidade duplica duma maneira constante, descendo o preço cada vez que isso acontece. Mas a realidade é que duplicar a produção neste momento é muito mais rápido. Como sabes, uma só gigafactory vai literalmente duplicar a produção mundial de um dia para o outro, e a tesla não quer fazer só uma...

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. "...Sam Jaffe, battery analyst for Cairn Energy Research in Boulder, Colorado"

      Eliminar
    2. não parecem ser grandes especialistas ao dizer que as baterias vão ter um progresso linear nos próximos anos. sendo que temos hoje mais do que nunca novas tecnologias eléctricas e avanços na área a um ritmo nunca antes visto.

      Eliminar
    3. esse especialista no linkedin a formação academica que leio dele é em literatura e em estudo do próximo oriente...

      Eliminar
  3. É impressionante ao ritmo que se chegou no desenvolvimento tecnológico.
    É muito possível que o Sr.MUSK, esteja correto no que diz. Basta olharmos para o que passou na China com o iPhone. Em um mês, passaram de fabricar 150000 unidades por dia, para 500000. Creio que não descortinamos ainda onde vamos chegar. Esperemos para ver.

    ResponderEliminar
  4. É impressionante ao ritmo que se chegou no desenvolvimento tecnológico.
    É muito possível que o Sr.MUSK, esteja correto no que diz. Basta olharmos para o que passou na China com o iPhone. Em um mês, passaram de fabricar 150000 unidades por dia, para 500000. Creio que não descortinamos ainda onde vamos chegar. Esperemos para ver.

    ResponderEliminar

[pub]