2017/12/13

França vai proibir uso de telemóveis nas escolas


Cumprindo uma das suas promessas eleitorais, em França vai ser proibido que as crianças utilizem telemóveis e smartphones nas escolas, tanto nas salas de aulas como nos recreios, a partir de Setembro do próximo ano.

A medida, como se pode entender, está a gerar polémica entre pais, alunos e professores; sendo que, se por um lado há escolas que já proibiam o uso de smartphones, por outro lado há quem coloque questões de ordem prática, de como é que esta medida irá ser implementada.

Muitos pais referem que os seus filhos levam os seus smartphones para a escola e pretendem que assim continuem a fazer, como forma de se manterem contactáveis até que cheguem à escola e após dela saírem; por isso, como é que todo este processo de proibição irá ser feito? Irão os smartphones ser recolhidos à entrada e entregues à saída? Onde e como serão guardados? Ou será permitido aos alunos mantê-los consigo - e nesse caso, como é que poderão garantir que não serão usados, e/ou que castigos serão dados a quem infringir as regras?

Para um local onde o objectivo é "educar", penso que implementar proibições intransigentes não será a melhor forma de lidar com um problema que será, acima de tudo, educativo. De resto, proibir a utilização do smartphone durante o dia poderá ter como efeito torná-lo ainda mais apetecível para ser usado (em demasia) fora da escola, em jeito de "compensação". Para além de que, poderá ser um pouco hipócrita que se pretenda limitar o uso dos smartphones entre as crianças, quando depois são os adultos que passam todo o tempo com a cabeça enfiada nos smartphones, mesmo quando estão no café ou no restaurante com amigos, ou até mesmo durante o jantar em família...

Mas pronto, trata-se de França, terra que promove a Liberdade... desde que seja aquela que sejam eles a ditar...

11 comentários:

  1. A medida é polémica sem dúvida, e no norte da Europa existem exemplos de educação pública e privada em que o uso de telemóvel é promovido inclusive nas salas de aula, através do uso de determinadas apps que colocam o controlo nas mãos dos professores.

    Mas uma nota acerca da 'farpa' sobre a Liberdade: pessoalmente, acho que verdadeira liberdade, só deverá ser entregue ao ser humano após a formação mais básica, ou seja, queres liberdade? "Estuda e trabalha para a receber."
    Se não colocarmos regras (em suma, limites às crianças e jovens, obteremos adultos totalmente ausentes de valores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente! Antes da liberdade está o conhecimento!

      Eliminar
    2. Sem dúvida... mas penso que seria mais produtivo "educar" a utilizar o smartphone como ferramenta de auxílio à educação, do que proibi-lo...
      (Mas sim, bem sei que na prática as coisas são muito mais complicadas que nas teorias e intenções... e já nem vou falar de escolas/turmas mais problemáticas...)

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. 80% dos alunos em França tem smartphone. E já no ensino primário.
    Já existe a lei (código de educação) que interdita a utilização de telemóveis nas escolas e colégios (até aos 14-15 anos). Mas é muito difícil de aplicar, tirando uma escola ou outra. O que se está a falar é de tomar medidas concretas para a aplicar, só que é extremamente difícil:
    - Pôr os professores a policiar é muito complexo, porque não podem apalpar os alunos nem retirar-lhes objetos pessoais. E não querem.
    - Obrigar a que estejam nas mochilas/pastas não dá, porque o pessoal passa a vida a espreitar.
    - Obrigar a entregar no início da aula e retirar no fim dá uma grande trapalhada
    - Arranjar cacifos, fora das salas de aula, com fechaduras é muito caro: 5300 colégios com uma média de 500 alunos são 3 milhões de cacifos.
    Isto para não dizer que há professores que estão contra porque incentivam os alunos a realizar pesquisas com os smartphones nas aulas.
    De modos que, ainda estamos para ver, como diz o cego.

    ResponderEliminar
  4. É a mesma coisa que ser fumador e proibir os filhos de fumar (e muitos pais dão os piores exemplos aos filhos e não é só em relação ao cigarro). Pura estupidez e hipocrisia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, em ambiente escolar não é hipocrisia. É tentativa de criar um mínimo de ordem possível num local onde a concentração e a capacidade de manter a atenção são primordiais.

      Eliminar
  5. Bem, na minha opiniao quem educa são os pais. A escola só ensina. Mas quanto a proibição, vejo os países europeus cada vez mais com países comunistas, cada vez o Estado se metendo na vida dos outros.

    ResponderEliminar
  6. Vejam antes as coisas deste prisma: vocês são pais/mães de crianças que nem usam muito os telemóvel e vão à escola para aprender.
    Mas na mesma sala de aula existem uns quatro ou cinco alunos que estão lá para passar o tempo...
    Um único professor obviamente não consegue colocar ordem na sala, por muito que tenha vontade...
    E os alunos que estão lá para aprender, esses, poucas ou nenhumas vezes fazem o que quer que seja para dar força aos professores...
    Quem fica a ganhar com a anarquia na sala de aula? Os que estão lá para aprender ou os que estão lá para passar o tempo?

    Pessoalmente suponho que esta medida possa ser revista passado pouco tempo, na medida em que a tecnologia e as apps Android permitam mais facilmente colocar as salas de aula convertidas em autênticos grupos de trabalho virtuais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso nada tem a ver com os telemóveis... muito antes de haver telemóveis já haviam os "4 ou 5 alunos" que podiam estragar as aulas a todo o resto da turma. Quando muito, com os smartphones, até podia ser que ficassem sossegados sem chatear os outros! :)

      Eliminar
  7. Agora quando o professor mandar usar o telemóvel na sala de aula para aceder algum site é que é mau! Todos nós sabemos que enquanto o professor está a falar vão ter outras apps abertas para ir mexendo ao mesmo tempo!

    E quando oferecem um iphone de 900€ a uma criança de 14 anos então aí ainda é melhor. Assim não dão valor e não sabem o que custa ganhar.

    ResponderEliminar

[pub]