2010/07/02

Carros com Caixa Automática

Nos EUA, mais de 90% dos automóveis têm caixa automática, e não deixa de ser curioso a inversão de valores que se assiste quando comparamos o mercado europeu com o americano.

Por cá, a grande maioria dos veículos está equipada com caixas manuais, com as caixas automáticas normalmente reservadas para os modelos de topo; nos EUA, todos os carros têm caixas automáticas, com as caixas manuais a serem reservadas para os condutores que se querem "diferenciar" dos demais.

Uma coisa é certa: outrora ineficientes, as caixas automáticas mais recentes começam a oferecer inúmeras vantagens, quer em conforto de utilização quer até em eficiência (particularmente nas modernas caixas de dupla-embraiagem.)

E, gostem ou não, com a chegada dos veículos eléctricos, não esperem ver as tradicionais caixas manuais sobreviver por muito mais anos...

(Pessoalmente, já faço parte do clube dos que só têm dois pedais à frente dos pés; e não estou nada arrependido. :)

21 comentários:

  1. Boas, por acaso estou a pensar comprar um carro novo e queria com caixa automática.

    Que tal se comportam? Nunca conduzi um automático... Tens que deslargar o acelerrador para ele meter a mudança?

    E a manutenção disso?

    Cumpts.

    ResponderEliminar
  2. pois concordo contigo no que diz respeito aos veículos com caixa automática.

    mas infelizmente apenas para os que têm duas rodas :)

    maxi-scooter foreva!

    ResponderEliminar
  3. @Pedro85

    Bem, a questão é que há muitas e variadas "caixas automáticas":
    Desde as caixas de variação contínua, às caixas automáticas hidraúlicas, as caixas de embraiagem pilotada, e agora mais recentemente: as caixas de dupla embraiagem.

    Todas elas proporcionam uma experiência de utilização diferente, que varia ainda mais dependendo de cada marca/modelo.

    Em carros de gama baixa, as caixas de embraigem pilotada (basicamente uma caixa manual, mas com as mudanças a serem engrenadas automaticamente por um sistema electromecânico) são populares, mas oferecem uma experiência com alguns "solavancos". (Embora já comecem a surgir caixas de dupla-embraiagem, bastante mais eficazes e suaves, em carros como o Polo.)

    Nos automoveis de gama alta, a conversa já é outra (espera-se!)... com as mudanças a nem se sentirem e a reagirem às necessidades mais rapidamente.


    Em todas elas o principio de utilização é o mesmo: acelerar, travar. Nada mais. :)

    Não tens que alterar o comportamento nem "desacelerar" nas passagens; tudo é feito automaticamente.
    Normalmente tens também a função kickdown, onde pressionando o pedal de acelerador a fundo acionas o processo de aceleração "de emergência", que normalmente faz uma redução para 1 ou 2 velocidades abaixo, e vrrruummmm! :)


    Quanto à condução normal, hoje em dia com a electrónica, muitas das caixas aprendem com a tua forma de condução (mais relaxada/desportiva) e adequam os pontos de passagem conforme as necessidades do momento.

    Vai variar conforme o carro, e nalguns modelos poderá requerer alguns dias de habituação; mas eu sou grande fã, e recomendo a todos! :)

    Regra nº1 de condução com cx auto: pousa o pé esquerdo no "poisa-pés" e mantém-no lá *colado*!
    (Não é incomum nos primeiros dias a tendência para por o pé na "embraiagem"... que vai fazer com que dês uma valente travadela mal o pé esquerdo carrega no travão! :)

    ResponderEliminar
  4. Também eu faço parte do clube ahahah e não me arrependo!
    Bmw x6 automatic.. forever!

    ResponderEliminar
  5. @Relvas

    Sortudo... eu ainda vou no "1"... talvez daqui por uns anos chegue ao "6" :)

    ResponderEliminar
  6. tb ja conduzi alguns carros da caixa automatica, e realmente o conforto é outro.
    pena q os de entrada de gama e media ainda n venham tds com o "extra" de serie :\

    ResponderEliminar
  7. Infelizmente por estas bandas existe o estigma do "carro do deficiente", isto é, até aparecer o Smart e as novas embraiagens associava-se a embraiagem automática para deficientes.

    Estive por 2 vezes por períodos prolongados no México [carros americanos] e tive a oportunidade de conduzir diversos modelos desde Gama Baixa até Gama altíssima e em todos a opinião é a mesma "QUEM ME DERA UM CAIXA-AUTOMÁTICA!" de preferência com Cruise-control, pois o cruise-control só faz sentido se o carro for caixa-automática.

    O único problema que me disseram era durabilidade das mesmas e o facto de serem um Spare-part algo dispendioso.

    ResponderEliminar
  8. Sempre defendi que as caixas manuais são para quem gosta de conduzir. Quem conduz por necessidade (mesmo que até adore conduzir!), deve optar por uma automática. É mais fácil, visto que não há preocupações com embraiagem, mudança certa e reduções... Já nem falo em ponta-tacão e outras coisas divertidas... =D

    Mas ainda há muito o estigma do "automático é para deficientes"... Nada mais errado! Automático é bom e recomenda-se! Mesmo nas gamas baixas (Polos, Clios e afins), todos têm opções interessantes. Desde as DSG (VW), ou puras automáticas. E não são nada lentas! Conduzi há uns tempos um Clio automático e fiquei bastante bem impressionado. A caixa era uma automática hidráulica pura, e era muito suave, sem se sentir o escorregar típico destas caixas.

    Recomendo a todos os condutores que andam em "pára arranca". Depois compra-se um manual para andar nos curvões! :P

    ResponderEliminar
  9. Anónimo2/7/10 13:43

    LisboaLimpa

    @Ricardo Ramalho, é tudo muito bonito, mas espero que essas "diversões" que fala as faça em circuito. Não fica barato claro, mas é mais seguro para os restantes utentes das vias. É que fartos de mortes, paraplégicos, tetraplégicos, estamos nós, e fica caro ao contribuinte pagar tais consequências só porque há gente que gosta de ser o Vettel de rua da aldeia.

    "Andar nos curvões" no Autódromo do Estoril é fabuloso. Espero que esteja a falar disso.

    A mentalidade de não ser "fixe" usar cinto de segurança parece-me já ter passado. Durou uns 20 anos. Enfim! Mas aí até a via com bons olhos... afastava rapidamente os irresponsáveis das vias, ao menor embate. Mas depois tinhamos de os sustentar com os nossos impostos para o resto das suas vidas deficientes.

    Sou condutor. Cometo erros, mas não deliberadamente. Sou praticante de ciclismo de fim-de-semana há anos, e digo-vos, a percentagem de péssimos condutores é mais elevada que se julga. E os "racers" são os piores.

    Pense-se: "eu era bom na disciplina de Física na escola ?". Se era aluno de Excelente, então deve saber o tipo de forças que está em jogo quando conduz. Se era aluno de Suficiente, então não faz a menor ideia do que anda a fazer na estrada. Aos que reprovaram nem se lhe devia dar a carta de condução.

    ResponderEliminar
  10. Bem, eu começaria por dizer que os exames de condução são (ou pelo menos eram na minha altura - agora não sei que alterações terão sofrido) uma autêntica vergonha.

    Em vez de se preocuparem em reprovar alguém que toque com a roda no passeio ao estacionar, porque não preocuparem-se em realmente ensinar os futuros condutores a conduzir em situações de perigo que vão encontrar nas estadas: chuva intensa, estradas alagadas, etc.

    Não ensinam às pessoas a reagir a situações como a do "teste do alce", carro fugir de frente/traseira, simular o rebentamento de um pneu, etc.... Isso sim, práticas válidas que poderia dar uma nova perspectiva a quem conduz... mas não: andam a brincar aos estacionamentos "impecáveis"... (numa altura em que alguns carros até já estacionam sozinhos...)

    ResponderEliminar
  11. Obrigado pela explicação.

    Eu estou interessado no Golf da VW e tem caixa DSG, ouvi dizer maravilhas ca caixa mas é relativamente nova por isso não sei...

    O que mais me mete confusão é nas subidas eheheh habituado a fazer ponto de embraiagem... pelo que tenho lido a caixa faz com que o carro se mantenha durante 1 ou 2 segundos para que possamos arrancar bem nas subidas.

    Cumpts.

    ResponderEliminar
  12. Sim, nas subidas não ha problema... é tirares o pé do travao e acelerares, sem problema... :)
    Só se "esperares" algum tempo é que o carro começa a descair - e isso depende dos carros, alguns simulam o funcionamento das caixas automaticas hidraulicas... em que mal tiras o pe do travao sentes o carro a "puxar" para a frente.

    ResponderEliminar
  13. Eu tenho um carro automatico ca nos States e sempre conduzi carros de mudancas em Portugal (exceptuando o Smart).

    De qualquer forma, na minha opiniao, os carros automaticos sao uma evolucao dos carros com mudancas manuais.

    Nao faz sentido tornar a conducao mais complicada...

    E nao me venham com essa do "prazer de conduzir e mais nao sei o que". Infelizmente ha limites de velocidade e ruas de merda em Portugal, porque raio e que querem mudancas?

    Hugz,
    Luis

    ResponderEliminar
  14. Ja agora, o stressante e voltar a pegar num manual e quase deixar o carro ir abaixo heheh...

    ...ou quando pegamos no automatico, a tendencia a por o pe "ah embraiagem que nao esta la" (que resulta em travagens estupidamente bruscas ;oD).

    Lembro-me a primeira vez que peguei num automatico aqui (um Ford 500). Ia a travar numa bomba de gasolina e quase me espetei pela loja a dentro...lol :o)

    ResponderEliminar
  15. No trabalho recebemos uma viatura de gama baixa/citadino, um Citroen C1 de mudanças automáticas, e era um mimo andar com ele na cidade.

    E não notava o carro quando colocava as mudanças!

    Para a gama gostei bastante do carro.

    ResponderEliminar
  16. Bruno Fernandes2/7/10 17:20

    Conduzo frequente o meu ibiza (manual) e o da minha mãe (golf embraiagem pilotada - infelizmente em 2000 não havia DSG) e não tenho solavancos de maior. O carro faz ponto sozinho na boa e não há nada mais prático. Até me arriscava a dizer que são os únicos que deviam puder pegar no telemóvel a conduzir heh mas isso já era outra história.

    Ela chegou a ter um Y10 que era variação contínua, e era uma treta. Para além da habitual electrónica lancia, não dava confiança nenhuma. Mas por acaso dei 180 com ele na A28, sozinho claro ;]


    Por acaso li hoje que saiu uma dupla embraiagem da ford. Vamos lá ver se faz concorrência à DSG, que para mim é sem dúvida a caixa de eleição na gama média.

    ResponderEliminar
  17. Bruno,

    heheh, a cena do telemovel e que ficamos, de facto, distraidos a mexer nele! ;o)

    Mas, por outro lado, tambem nos distraimos a mexer no radio ou a falar com outras pessoas que estejam dentro do carro :oP

    ResponderEliminar
  18. Também pertences ao clube automático?
    Este Carlos só me causa boas surpresas :)
    Só é pena na minha empresa um carro automático ser visto como um artigo de luxo.. e lá temos de continuar a levar com as estupidas mudanças nos carros de serviço. Mentalidades!

    ResponderEliminar
  19. Eu só não sou do clube dos automáticos desde sempre pq... $$$" :)

    Mas agora estou bem servido, e para muitos e longos anos, espero eu! :)

    ResponderEliminar
  20. Na Europa em geral as caixas automáticas nunca pegaram muito. Por ser um "extra" caro e tradicionalmente resultarem em consumos superiores (a uma boa gestão manual). Nos EUA como sempre tiveram gasolina barata...

    ResponderEliminar
  21. Tenho um Fiat Punto Speedgear (caixa automática com transmissão variável contínua + caixa "manual" de 6 velocidades - que não utilizo -). Outubro 2001. Comprei porque andava na altura bastante em Lisboa e sempre fui fã das cxs. automáticas. Perguntas das pessoas na altura: "Tens alguma deficiência física?".

    Nunca tive problemas com o carro (77.000 km) e o arranque brusco só acontecia no início, ao arrancar com a alavanca na posição D (http://irishcar.com/ICOimages/fiatspeedgear.jpg equivalente à 3ª-6ª velocidade de andamento normal). Com a alavanca na posição L (equivalente à 1ª, 2ª) já não acontece isso. Mas com a prática deixei de utilizar a posição L (a última), que só utilizo quando estou a mudar de sentido de andamento, por exemplo recuar (posição R acompanhada por um apito intermitente) e depois para andar para a frente coloco na L e quando já estou a andar, na D.

    Também tem uma posição P (parque) em que o carro fica completamente bloqueado. Para o roubarem, só elevando com um guindaste. Idem, se a bateria os fios da bateria forem cortados ou bateria estiver em baixo.

    A posição N é para poder empurrar o carro à mão.
    Com o motor ligado, sem o pé no acelerador e travão, num sítio plano, o carro anda muito devagar. Vantagem: num cruzamento em subida, escusamos de estar com o pé no travão. Desvantagem: gasta um pouco mais as pastilhas dos travões.

    A caixa tem ainda um botão (que eu chamo de turbo) que não permite ir além das 4.000 rpm, poupando gasolina. Ligando esse botão, o carro fica super nervoso e extremamente rápido.

    Mudar para um carro com mudanças manuais é como recuar dezenas de anos na técnica de condução...

    ResponderEliminar

[pub]