2011/10/29

HP e o Futuro do WebOS


A aventura WebOS na HP parece aproximar-se de um final nada inspirador. Depois da aquisição da Palm, tudo parecia indicar que o WebOS tinha encontrado uma casa que lhe permitiria implantar-se como um forte concorrente no paranoma mobile - e com muitas coisas a "ensinar" ao Android e iOS.

Infelizmente, a realidade revelou-se bem diferente. Depois de uma forte aposta inicial, que fazia prever que o WebOS até pudesse chegar aos netbooks da HP, a marca decidiu simplesmente abandonar o fabrico de equipamentos WebOS, deixando o futuro da plataforma em situação altamente duvidosa.

Ainda assim, a venda dos produtos existentes - como o TouchPad - tornou-se num sucesso imediato, em virtude do seu preço "de saldo." (Tablets que só agora parecem ter esgotado os stocks - e estão a ser oferecidos na compra de outros equipamentos HP.)


A HP continua sem divulgar o destino que pretende dar ao WebOS, adiando a decisão final para daqui por um mês - mas considerando o enorme potencial das patentes da Palm e WebOS (para além da sua validade enquanto plataforma funcional) certamente não faltarão interessados em apanhar este tesouro indesejado da HP. A grande questão é se o WebOS irá ser simplesmente reduzido às suas patentes; ou se irá encontrar um novo lar onde poderá continuar a ser desenvolvido.
Considerando que todos os "grandes" já estão servidos: entre Android, Windows Phone, e sistemas proprietários (como o Bada no caso da Samsung), e muitos deles já têm que dividir recursos para suportar múltiplas plataformas; não me parece que algum deles tenha interesse em apanhar o WebOS para lhe dar nova vida.

Por isso continuo a achar que um dos candidatos que mais teria a ganhar com esta aquisição seria... o Facebook. O Facebook sabe bem que o seu futuro está ligado ao mobile, e está neste momento dependente das plataformas existentes. Para além disso, tem apostado fortemente na vertente "WebApps" como forma de permitir o acesso universal e ultrapassando a questão das "app stores" - Webs Apps que assentaria que nem uma luva na estrutura de funcionamento do próprio WebOS.
Será apenas caso de saber se o Facebook se arriscaria a entrar nesta aventura... já que tem o dinheiro e recursos para fazer com que tal funcione.

(E imaginem só a "ameça" a todo o actual ecossistema mobile, se o FB entrasse nesta guerra: com milhões de potenciais clientes interessados em ter um acesso priveligiado à sua rede social favorita, e que agora tem Apps e jogos, e até serviço de pagamentos?)

Vamos lá ver se as coisas se clarificam daqui por um mês; e descobrir se o WebOS ficará destinado a ser apenas mais um a ficar esquecido na poeira da evolução tecnológica... ou se, pelo contrário, apenas agora estará a dar o primeiro passo rumo a um futuro mais brilhante que nunca.

3 comentários:

  1. webOS é uma plataforma brilhante para o seu tempo, pena ainda não ter tido uma aposta forte, realmente a HP foi uma desilusão.
    Vejo com bons olhos o interesse de qualquer um que o queira potencializar e mostrar o que realmente vale.

    Cumps.

    ResponderEliminar
  2. Dos_Passos29/10/11 20:39

    Quem há pouco tempo se saiu com uma declaração de querer um sistema operativo próprio foi a HTC, que está a ser bastante espremida a pagar patentes à Microsoft nos seus equipamentos Android e com processos da Apple em tribunal pelo mesmo motivo.

    As antenas levantaram-se todas se não estaria a falar do WebOS.

    ResponderEliminar
  3. Reduzir o valor e as perspectivas de sucesso de uma tecnologia à sua valia técnica é um erro crasso que muitos especialistas insistem constantemtente em cometer (onde não se inclui o autor deste blog, honra lhe seja feita). A excelência técnica é geralmente uma condição necessária para o sucesso comercial, mas não é de longe suficiente. O WebOS pode ser tecnicamente óptimo (e até isso é discutível), mas se não há quem consiga fazer dele um produto comercial que as pessoas querem comprar, então nada feito.

    ResponderEliminar

[pub]