2013/11/22

ACAPOR quer demissão de Deputado que pediu link para ver jogo de Futebol

Já deveriam todos saber que aquilo que se diz na Internet facilmente chega a todo o mundo. Mas no caso do deputado João Galamba, um tweet igual a tantos outros não teve que viajar meio mundo para estar na origem de mais um episódio polémico quanto às questões dos direitos de autor.



Em noite de jogo FC Porto - Sporting, João Galamba limitou-se a perguntar no Twitter aquilo que milhares de outros portugueses fazem: "Há link para o Porto-Sporting?". E a ACAPOR, enquanto entidade que se limita a perpetuar o passado (insustentável, diga-se), não perdeu a oportunidade de transformar este simples tweet numa nova caça às bruxas, e pedindo a demissão do deputado do PS.


Ora, já que estamos em terreno onde estas entidades muito gostam de jogar com as palavras, facilmente se argumentaria que João Galamba poderia estar literalmente a perguntar se havia links para algum site que disponibilizasse o resumo ou resultado do jogo, e não para a sua transmissão ilegal. Pelo que, "legalmente", não me parece que fosse fácil à ACAPOR demonstrar que esta pergunta constituísse intenção de cometer alguma ilegalidade.

Mas, voltando ao mundo real (e realista) onde se pode e deve falar sem rodeios, isto serve apenas como mais um episódio de como as leis e entidades que advogam os direitos de autor estão desfasadas do senso comum. (E nem vamos falar dos reais "prejuízos" de alguém que veja uma transmissão ilegal - sendo que essa mesma pessoa poderá muito bem até estar a pagar pela Sport TV mas estar nesse momento fora de casa; ou de que talvez pudesse caminhar uns metros e ver a transmissão no café da esquina; ou até na montra de uma loja num shopping...)

A ACAPOR continua a tentar pintar o habitual filme negro da "pirataria", dizendo que é responsável pela perda de milhões de espectadores nas salas de cinema (esquecendo-se que os preços dos bilhetes e o facto de grande parte das pessoas ter ecrãs de dimensões generosas em casas também terá um nada ligeiro efeito nessa tendência); e na perda de muitos mais milhões de vendas de DVDs e Blurays... novamente esquecendo-se de frisar que a indústria cinematográfica e discográfica tem ganho mais dinheiro que nunca; e que é cada vez mais comum as pessoas optarem pelos conteúdos digitais em vez das compras físicas (e mais seria se por cá tivéssemos serviços como o Netflix, por exemplo).

Em vez de perseguirem alguém que se limitou a fazer aquilo que todos fazem, mesmo que seja tecnicamente ilegal, não seria melhor que a ACAPOR e compinchas se concentrassem em algo tão genial como: "hummm... se há tanta gente que gostaria de ver a transmissão de um jogo; porque não fazemos isso de forma oficial, disponibilizando um stream de transmissão de jogos a um preço atractivo?" Acham que não teriam pessoas dispostas a pagar alguns euros (desde que não abusem!) para nem terem que se chatear com links "pirata" de baixa qualidade?

Mas infelizmente... penso que isso continuará a ser apenas uma fantasia, e estas entidades continuarão a insistir na mesma coisa de sempre, vivendo na sua ilusão de que todo o mundo está errado e que só eles sabem como é que as coisas têm que ser.

10 comentários:

  1. Quem financia a Acapor? Porque não fazem algo para baixar o preço dos bilhetes de cinema, aluguer filmes, tudo aquilo que é pago e que eles defendem!? Realmente ainda não devem ter reparado, como diz o texto e bem, que os elevados preços dos bilhetes afasta as pessoas....

    ResponderEliminar
  2. Se o NETFLIX chega a Portugal a acapor nao dorme durante 1 mes.

    ResponderEliminar
  3. A ACAPOR já ia levar num sitio que eu cá sei e acordavam para a realidade :)

    ResponderEliminar
  4. No dia em que saírem cá para fora os podres da ACAPOR e/ou dos seus membros/representantes, aí sim, é que vai ser giro reler estas coisas.

    E *se* algum dia estes senhores conseguirem, de alguma forma, fazer valer os seus "pontos de vista" e começar a castração... A comunidade "internet" não tardará muito a reagir.

    ResponderEliminar
  5. Não acredito que os gajos da Acapor estejam habituados ao streaming de vídeo, aos soluços, do futebol "pirata". Devem ter pensado que o tweet era o mesmo que: "Há para aí um descodificador pirata para ver TV por cabo à borla ?"

    Só vê a bola com a baixa qualidade de streaming quem quiser ir acompanhando o jogo e não tiver outra maneira "Ah, mas podem ouvir na rádio". Poder pode-se, mas convém ir deitando um olho às imagens porque os locutores não são muito de fiar :)

    ResponderEliminar
  6. ACAPOR a dar um tiro no pé.... e assim vão se enforcando...

    ResponderEliminar
  7. Tivesse a ANACOM metade da energia desta ACAPOR e estávamos nós bem. Para o "mal" é que é sempre a abrir.

    ResponderEliminar
  8. ACAPOR?
    A sério!?
    Que é que esta cambada quer agora?
    Que alguém alugue o jogo num clube de vídeo?

    Tal disparate só é compreensível de uma forma - mostrar serviço para continuarem a mamar ordenados milionários no próximo ano. Já que não conseguem cumprir com as promessas a que se comprometeram, por exemplo 1.000 queixas mensais, tem de mostrar de alguma forma que ainda estão activos.
    Felizmente estão moribundos e mesmo estes falsos lampejos de vida não deverão chegar para encantar o único investidor já que de sócios, mesmo considerando que ainda tem alguns, nem deve chegar para pagar um café.
    Infelizmente, estes velhos-do-Restelo pagos principescamente apenas olham para o seu umbigo e esquecem-se de zelar activa e verdadeiramente pelos interesses do seus associados por exemplo em busca de soluções para enfrentar estes novos desafios de forma a manter o público interessado nos conteúdos que os seus associados disponibilizam.

    ResponderEliminar
  9. Algum artista que venha aqui comentar em que é que a ACAPOR contribuiu para o sucesso dele? se fizerem o favor :)
    Vou esperar sentado.... .... ....

    ResponderEliminar
  10. Opa, mas estamos na Roménia em que querem tudo "à borla" e ainda por cima uma figura pública pede para cometer um crime quando devia dar o exemplo e acham mal que as entidades lhe caiam em cima? Ele é uma figura pública e tem que dar o exemplo e se quer o jogo 1) ia a um café ou casa de amigo 2) pagar 3) procurar o link "via privada" como muita gente... e nao dar uma de burro e colocar a pergunta "num anúncio"

    ResponderEliminar

[pub]