2015/09/23

Waze considera acabar com viragens à esquerda perigosas


O Waze é o programa de navegação que mais dedicada legião de utilizadores tem por todo o mundo, e agora parece estar prestes a alterar o seu algoritmo de navegação para evitar viragens à esquerda perigosas.

No Waze, todos os utilizadores podem contribuir para sinalizar o estado do trânsito, acidentes, e até adicionar novas estradas e rectificar problemas nos mapas. Ainda nestas férias lhe dei destaque, ao me ter avisado e desviado de uma fila de 20km de trânsito; e já se tornou numa rotina automática ligá-lo assim que entro no carro. No entanto, criar algoritmos de navegação que funcionem para todas as estradas do mundo não é fácil, e há muitos condutores que não apreciam algumas direcções que o Waze sugere, e que podem ser consideradas perigosas.

O Waze dá normalmente prioridade à rota mais rápida (podemos escolher também dar prioridade à rota mais curta), e por vezes isso resulta em percursos que podem ser um pouco complicados, que teoricamente poderão permitir poupar apenas alguns segundos ou metros. E daí as chamadas "viragens à esquerda suicidas".

Qualquer tipo de viragem à esquerda que nos faça atravessar a faixa de circulação de sentido contrário é inerentemente  mais perigosa que uma viragem à direita. Há até empresas de transportes cujas rotas têm isso em consideração, maximizando as rotas para aproveitarem as viragens à direita, como forma de poupar tempo e reduzir os riscos. Ainda assim, por cá poderá parecer estranho que uma simples viragem à esquerda seja causa de tantas reclamações... afinal, é coisa que se faz dezenas de vezes por dia, sem sequer se pensar nisso. Mas... há cidades onde as coisas são diferentes. Em Los Angeles, o Waze poderá mandar-vos virar à esquerda em cruzamentos de estradas com 6 ou mais faixas de rodagem(!), que tornam a manobra numa tarefa bem mais arriscada, especialmente quando no cruzamento a seguir já teriam semáforos que permitiriam fazer a manobra de forma mais descansada.

Esperemos que o Waze faça as alterações que forem necessárias para minimizar as rotas desnecessariamente perigosas... pelo menos enquanto tivemos que lidar com veículos que têm que ser conduzidos por pessoas. :)

1 comentário:

  1. Só uma pequena correcção: não confundir vias de trânsito com faixas de rodagem. Uma faixa pode ter várias vias, em sentidos iguais ou opostos, separados, ou não, fisicamente (por exemplo, separador central).
    Uma estrada simples "clássica" é constituída por uma faixa de rodagem com duas vias em sentidos opostos.

    ResponderEliminar

[pub]