2015/11/10

TAG Heuer entra nos smartwatches com o Connected


As marcas de relógios olharam com desconfiança para os smartwatches, mas aos poucos lá vão reconhecendo que a melhor táctica é abraçarem esta nova área em vez de a ignorarem. A TAG Heuer é uma das primeiras marcas a tentar a sua sorte com um smartwatch que tenta combinar a sua qualidade histórica com a modernidade de um Android Wear.

Quem esperasse que este TAG Heuer Connected fosse um modelo revolucionário poderá ficar desiludido - embora seja certo que uma coisa faz extremamente bem: a de aplicar todo o conceito de produção de vídeos publicitários dos seus relógios a este novo modelo.



Poderíamos sonhar com um smartwatch que combinasse um TAG Heuer mecânico com um ecrã transparente que ganharia vida ao se tocar no seu vidro... mas isso será algo com que teremos que continuar a esperar durante mais algum tempo (lá chegará o dia.)

Mas, voltando a pousar os pés na realidade, vemos que este é um smartwatch que se quer demarcar dos smartwatches das marcas tecnológicas, como se aspirasse a servir como um estandarte que diz "é assim que se faz um relógio, aprendam!"

Corpo em titânio, vidro safira resistente a riscos, ecrã LCD transflectivo circular com 360x360 pixeis, bracelete em borracha com fecho em titânio, CPU Intel dual-core, 1GB de RAM, 4GB de armazenamento, bateria de 410mAh, autonomia "mínima" de 25h, espessura de 12.8mm, peso de 52g e corre Android Wear. Uma inesperada ausência é a do sensor de frequência cardíaca, que seria de esperar num smartwatch "de luxo".

O argumento de autonomia mínima é interessante de ser referido, mas teremos que esperar para ver se realmente está à altura do prometido - pois não basta trocar a autonomia em uso "normal" e dizer que é autonomia mínima (que dá a entender que, mesmo nas mais exigentes condições de consumo, o relógio aguentar-se-ia por 25h - o que me parece difícil). É que ainda por cima estamos a falar de um smartwatch que tem um preço de 1350 euros; bem superior a outros smartwatches com construção de alta qualidade.

Em troca a TAG Heuer dá-nos alguns watch faces exclusivos (alguns deles personalizáveis), e também uma opção que escapa aos restantes smartwatches: a possibilidade de no futuro se fazer upgrade para um TAG Heuer Carrera mecânico por mais $1500 dólares.








Para adquirem um deste modelos, terão de recorrer a umas das lojas autorizadas, mas parece-me que a maior parte dos que visitarem uma destas lojas mais rapidamente sairão de lá com um relógio mecânico de 1350 euros do que com este smartwatch. (Embora a opção de upgrade para um mecânico no futuro não deixe de ser interessante.)

3 comentários:

  1. Podemos criticar as opções da Tag, preço e tudo o mais... mas uma coisa é certa é o smartwatch mais bonito até ao momento...com preço de 500€ já era outra cantiga :)

    ResponderEliminar
  2. São espertos é em oferecer pela possibilidade de trocarem por um Tag mecânico...
    É uma maneira de tentarem fisgar algum deste pessoal que compra smartwatches para relógios mecânicos.

    ResponderEliminar
  3. O preço não é convidativo :P Criticio o facto de (pelo que ja li noutro site) vir com uma bracelete de borracha? ! :S

    ResponderEliminar

[pub]