2018/03/21

Europa quer taxa extra sobre gigantes tecnológicos


A Comissão Europeia está farta de ver os gigantes tecnológicos ganharem milhares de milhões de euros mas pagarem impostos ultra-reduzidos por via das manobras fiscais, e quer avançar com uma sobtetaxa extra sobre as suas receitas.

Empresas como a Amazon, Facebook, Apple e Google ganham "biliões" por ano, mas as taxas pagas na Europa são ínfimas, quer por fruto dos paraísos fiscais que existem por culpa da nossa própria Europa (a Amazon optou pelo Luxemburgo para as operações europeias, onde conseguiu pagar apenas 16.5 milhões de euros sobre receitas de 21.6 mil milhões de euros referentes à Europa), quer por serem negócios que não se enquadram no pagamento de impostos "tradicionais" e não são devidamente taxados.

Se por um lado se pode considerar a criação de uma taxa adicional de 3% sobre as receitas uma hipocrisia (ver o caso acima citado, de ser um próprio país Europeu a facilitar o pagamento de impostos ultra-reduzidos - ou então relembrar a nossa famosa sobretaxa sobre o combustível, criada por estar "barato demais"... mas que permanece mesmo já não estando nada barato) por outro lado há efectivamente que equacionar se estes verdadeiros impérios digitais estão pagar impostos que se poderiam considerar justos face ao que ganham.

Imaginando-se um mundo que caminha para um futuro cada vez mais robotizado e automatizado, é necessário repensar a estrutura dos rendimentos e sua distribuição... Levado ao extremo, se 90% da população não tiver emprego nem rendimentos, também estas empresas cairão por não terem clientes capazes de as sustentar... Pelo que há que encontrar um ponto de equilíbrio que permita manter um mercado (e sociedade) saudável.

Dito isto... penso que será injusto centrarem-se apenas nas empresas tecnológicas... pois o mesmo deveria ser feito a todas as empresas, independentemente de se centrarem na internet ou serem "tradicionais", e que também recorrem a todo o tipo de tácticas para escaparem aos impostos. Ou será que por um lado querem taxar apenas quem tem sucesso, enquanto do outro lado continuam a permitir que as empresas europeias (e internacionais) continuem a "fugir" para o Luxemburgo, Irlanda, e outros países que façam o maior desconto, prejudicando os seus vizinhos europeus?

4 comentários:

  1. pessoal sem emprego nao consome ou nao vem isso ou nao querem ver.

    ResponderEliminar
  2. Estamos a preparar uma sociedade "do caneco" para os nossos filhos e netos... :(

    ResponderEliminar
  3. Os Estados Unidos a cortarem taxas e a Europa a aumentar, depois os americanos que são os opressores. A União Européia caminha de passos largos para o um governo obeso. Já vi esse filme e o final não é bom.

    ResponderEliminar
  4. @Tester os USA não estão de forma alguma a cortarem taxas, estão a fazer no seu mercado interno para protegerem as industrias dos USA, mas espera pelos próximos dias porque as taxas que vão ser aplicadas ao aço Europeu vão-se expandir a outros produtos e atingir directamente a China, o objectivo da Administração Trump é aumentar de tal forma os impostos para produtos que não sejam fabricados nos USA e tornar a importação desses produtos inviável, um dos casos que vamos ver como fica é a Apple que já anunciou ir passar parte da produção para os USA.

    ResponderEliminar

[pub]