2018/06/04

Lenovo com grandes ambições para Portugal


A convite da Lenovo, estivemos em Malta para assistir ao seu Kickoff Ibérico, num evento que reuniu clientes, parceiros e imprensa de Portugal e Espanha. Foram dois dias intensos, onde tivemos oportunidade de visitar a ilha e falar os responsáveis da Lenovo sobre o progresso da marca em Portugal e quais os seus objectivos para os próximo anos.

A Lenovo não pretende apenas "ser diferente", quer com esta diferença apresentar produtos melhores, capazes de responder às necessidades dos utilizadores e tornar-se numa marca ainda mais próxima dos Portugueses. Os seus PCs têm estado na liderança em termos de inovação, sendo o X1 Carbon um dos exemplos de como é possível melhorar um produto já de si muito bom; a inovadora dobradiça dos Yoga continua a fazer sucesso, contribuindo para o crescimento da quota de mercado no segmento dos convertíveis; a marca Legion foi lançada para competir no mercado de gaming e nesta altura já está no lugar cimeiro do pódio; e não pretende ficar por aqui, com uma série de novos produtos que serão lançados na IFA 2018 que prometem ser capazes de surpreender os clientes.

A Motorola, mais uma das aquisições da Lenovo, está também de regresso a Portugal com os novos Moto G6 e E5, smartphones que carregam a herança dos primeiros Moto G. Os mods do Moto Z são vistos pela Lenovo como uma forma de utilizador configurar o equipamento de acordo com as suas necessidades, permitindo uma experiência de utilização mais enriquecedora.



Revolução no mercado de entrada e gama média - O que esperar dos novos Ideapad

É intenção da Lenovo trazer para a linha Ideapad alguns dos conceitos que têm sido bem sucedidos nas linhas de produtos premium. O ultraslim vai chegar aos Ideapad e os formatos convertíveis e removíveis são também uma hipótese que está a ser estudada. Com esta nova política, a Lenovo pretende levar até ao consumidor produtos mais simples, modernos e elegantes.

Não será contudo apenas o design a receber melhorias. O hardware vai também ser alvo de um upgrade, com a disponibilização de um maior leque de opções e desempenho. Com estas duas medidas, a Lenovo espera incrementar o valor dos seus produtos,  para que estes sejam capazes de bater as propostas da concorrência.

Margens mais reduzidas e um novo sistema de arrefecimento, são duas das apostas da marca chinesa. Os ecrãs passam a apresentar margens (laterais e superiores) de apenas 5mm, para permitirem uma melhor experiência na visualização de conteúdos (nota: falta eliminar a margem inferior...). A utilização de um sistema de dupla ventoinha promete uma melhoria de 26% no arrefecimento das máquinas, com estas a entrarem em acção quando a carga de processamento for mais elevada. A marca refere que esta melhoria na capacidade de arrefecimento vem acompanhada de uma redução no ruído de funcionamento deste sistema.

Realidade aumentada e realidade virtual (AR/VR)

Na IFA assistimos ao lançamento de dois novos produtos nesta área do AR/VR. A Lenovo manifestou a intenção de continuar a apostar nestas áreas, não só para os jogos, mas também para a área do turismo, educação e saúde, mercados onde estas tecnologias poderão dar um forte contributo para melhoria dos serviços prestados ao utente.

Outra das áreas onde a Lenovo também quer estar presente, é na crescente área da domótica, tendo para isso um novo ecrã inteligente. Este tem a particularidade de integrar o Google Assistant para se constituir como o centro de comando de todos os equipamentos inteligentes que se tenha em casa. Infelizmente, e pelo menos para já, não está prevista a sua chegada ao mercado nacional.

Estas foram algumas conclusões partilhadas por Alain Raison, Director EMEA para a área de PCs, que revelou ainda os objectivos da Lenovo para 2018:
  • O digital e a mobilidade vão ser a grande aposta, com os convertíveis, tablets  e ultrabooks a estarem em destaque. Para suportar esta política, a marca reforça o investimento na fiabilidade dos produtos, sempre com o custo total de propriedade em linha de vista.
  • Por forma a responder às necessidades do mercado, onde os locais de trabalho estão a sofrer uma revolução, a Lenovo pretende disponibilizar produtos que contribuam para esta nova realidade, melhorando as condições de trabalho nas empresas e no lar.
  • Segurança, privacidade e confidencialidade são áreas onde a marca vai continuar a apostar, isto numa altura em que vivemos uma verdadeira azáfama, devido à regulação do acesso aos dados dos clientes. 
  • As tecnologias de informação nas escolas são também uma área onde a Lenovo pretende investir, fazendo uso dos seus produtos e serviços.



Alberto Ruano, Director Geral para Portugal e Espanha, apresentou os dados referentes ao ano fiscal 2017/2018, com a Lenovo a registar um aumento de 40% no mercado de PCs e 74% nos servidores. A marca registou um valor recorde de 1134 milhões de PCs no mercado Ibérico, conseguindo uma quota de mercado de 24%. "A Lenovo não vive contudo obcecada com esta questão, prefere ser uma empresa sustentável, em que as pessoas acreditem", referiu ainda o homem forte da Lenovo Ibéria.

O mercado nacional representa 13% das vendas, face aos 87% registados em Espanha. Em termos de facturação, Portugal equivale a 15% e o objectivo da marca para o próximo ano, passa por atingir os 20% no nosso mercado.

Numero 2 em Portugal em B2B e B2C

Em entrevista ao AadM, Miguel Coelho, Country Manager da Lenovo para Portugal, reforçou esta ambição, querendo obter o segundo lugar em B2B e B2C no nosso país; sendo que no mercado de consumo, a marca ocupa ainda o terceiro posto, com 17% de quota de mercado entre Janeiro e Abril. Os 20% são uma marca ambiciosa "porque os players que ocupam os dois primeiros lugares são marcas de referência do nosso mercado, mas a Lenovo está pronta para esta luta" que se prevê muito renhida. Em Comercial, a Lenovo já é o número dois, posição que atingiu em Outubro-Dezembro de 2017, com 21% de quota de mercado, valor que passou para os 24% no último trimestre.

"O futuro continua a passar pelo PC...é algo que está para ficar e para durar. O PC evoluiu bastante e actualmente há novos segmentos, com os convertíveis a serem um segmento importantíssimo, optando cada vez o consumidor por este tipo de produto. As novas gerações nascem com o táctil e as canetas digitais, pelo que os convertíveis e 2 em 1, acabam por ser formatos que se adaptam melhor às necessidades dos mais novos, representando nesta altura 50% da vendas de PCs", referiu o executivo da Lenovo.

A área de Gaming está a crescer bastante, em portáteis e desktops. Embora seja um nicho de mercado, acaba por ter um peso importante na facturação por se tratarem de máquinas com especificações de topo. A Legion surge como um activo fundamental para a Lenovo, que vai continuar a investir nesta sub marca, estando a preparar um nova linha de produtos com um novo design que, segundo Miguel Coelho, vai conseguir surpreender os jogadores e destacar-se neste concorrido segmento.


O AadM agradece à Lenovo o convite para estar presente no seu Kickoff Ibérico, e ficará atento aos seus novos produtos que forem chegando ao nosso país.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]