2018/07/16

A Netflix e o Regresso ao Futuro


Quem me conhece sabe que sou um grande fã da Netflix e cliente desde o primeiro momento em que o serviço chegou ao nosso país. Mas embora muito tenha melhorado desde então, este fim de semana fez-me sentir uma enorme desilusão quando tentava rever uma das mais icónicas trilogias de todos os tempos: o mítico Regresso ao Futuro.

É certo que o catálogo de filmes e séries da Netflix por cá continua a ser uma fracção do que é noutros países, mas sinceramente nem é isso que me preocupa. Existem filmes e séries mais que suficientes para gastar mais tempo do que tenho livre, e o número de séries e filmes em Ultra HD 4K também tem crescido e demonstrado como se pode fazer bom uso dessa resolução nos televisores.

Por outro lado, temos também por lá grandes filmes clássicos, e este fim-de-semana tinha decido que estava na hora de mostrar ao meu pequenito a fantástica aventura de Marty McFly e Doc Brown no seu DeLorean voador capaz de viajar no tempo: Back to the Future!

Depois do costumeiro choque inicial do "tchii... eram tão novinhos", e ainda algumas descobertas que me tinham passado despercebidas mesmo depois de ter visto e revisto estes filmes tantas vezes (sabiam que Billy Zane era um dos amigos de Biff? Eu descobri este fim-de-semana, e afinal foi a sua estreia no cinema) tudo corria perfeitamente... até chegar ao fim do primeiro filme. É que, quando já tinha o meu pequenito ansioso por saber o que ia acontecer a seguir, descubro que a Netflix em Portugal apenas disponibiliza o primeiro filme do Regresso ao Futuro, e o terceiro filme do Regresso ao Futuro; o segundo filme... népias!


Têm sido muito poucas as "desilusões" que tenho tido com a Netflix (a única que me recordo foi a de quando ia tentar retomar a visualização do Star Wars The Force Awakens depois do final do ano, descobrir que o filme que tinha deixado a meio uns dias antes afinal já tinha desaparecido), mas oferecer o Back to the Future "incompleto" é algo que se pode considerar ainda pior!

... Felizmente não tive que recorrer a downloads de legalidade duvidosa que me evitassem ter que remexer nos caixotes com DVDs que provavelmente nunca mais irão ver a luz do dia, pois um salto ao serviço de streaming do lado (Amazon Prime) revelou que lá estava disponível a trilogia completa do Regresso ao Futuro, o que permitiu retomar imediatamente a maratona sem traumatizar permanentemente um pequenito na sua primeira aventura com viagens pelo tempo (como é que nós conseguimos sobreviver, tendo que esperar cinco anos para poder o Back to the Future do início ao fim? ;)

No entanto, como facilmente se compreenderá, nem toda a gente estará na disposição de subscrever dois serviços de streaming... e mesmo que o fizesse, não há qualquer garantia de que o filme que se deseja ver e que não esteja num, esteja no outro. No entanto, há algo que estes serviços podem fazer, e que é não iludir os clientes: e isso passa por não ter apenas dois filmes de uma trilogia como esta.


Actualização: afinal parece que se poderá tratar apenas de um problema temporário (se estiver a interpretar bem a resposta dada pela Netflix PT no Twitter)... esperemos que seja o caso, para que ninguém tenha que passar por isto. ;P

3 comentários:

  1. Bastante originais a dar a resposta... Parabens NetFlix :P

    ResponderEliminar
  2. Sinceramente não me espantou, o grande problema da netflix é exactamente esse, falta de filmes!! Têm meia duzia de series boas e mais nada.
    Pra mim só valem pelo conteudo em UHD, mas o preço não compensa para conteudo que têm. A minha desiluzão foi só terem 4 de 17 filmes Marvel, ja nem falo de todos os outros filmes dos anos 80/90 que queria ver e nao tinha nenhum...

    ResponderEliminar

[pub]