2018/07/18

CTT fazem acordo com China Post para envios da China


As compras vindas da China vão ter um novo canal de transporte para chegar ao nosso país, com o serviço e-Packet, resultante de uma parceria feita entre os CTT e a China Post.

Todos conhecemos os problemas que têm envolvido o volume crescente de encomendas vindas da China para Portugal, recentemente tendo havido uma vaga de reclamações de encomendas desaparecidas que põe em causa a confiança no serviço de correios portugueses. Para tentar evitar essa situação, com o serviço e-Packet, os CTT prometem um serviço que garantirá a entrega das encomendas, com tracking online a cada momento.

Os CTT dizem que este método dispensa a recolha da assinatura no processo de entrega, com essa confirmação a ser dada electronicamente no site dos CTT e na loja onde tiver sido efectuada a compra; e que também permite agilizar o processo de desalfandegamento, pois toda a informação será automaticamente disponibilizada pelo sistema, sem necessidade de pedir ao destinatário a informação referente à sua compra. (O ideal mesmo seria que o custo do transporte já incluísse o custo total, para garantir que não haveria qualquer surpresa adicional...)

É bom ver os CTT a finalmente "acordarem para a vida", em vez de se limitarem a ser espectadores passivos de todas as técnicas alternativas que têm sido usadas para fazer chegar encomendas da China ao nosso país. Dito isto, esperamos que o incidente das encomendas desaparecidas não tenha sido uma táctica usada para forçar algumas lojas a aderirem a este novo sistema, pois não é por existir este e-Packet que os CTTs ficam ilibados de garantir que todas as restantes encomendas cheguem também ao seu destino devido, independentemente do método de envio escolhido.

14 comentários:

  1. É só passar pelo OLX, que se veem todas as encomendas "desaparecidas", Estado: Novo e embaladas a preço de custo. Sensores de portas, de temperatura, balanças...
    No entanto parece que já existem novos aderentes ao processo, A SEUR também aderiu às encomendas "desaparecidas".
    Experimentem sabe sempre bem ficar sem dinheiro e sem mercadoria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente as pessoas e certa comunicação social não sabem do que falam e lançam notícias sem nexo e em tom de acusação em vez de investigarem em primeiro lugar, quanto ao ficar sem dinheiro e sem encomenda compre em sites fidedignos e recebe o dinheiro de volta

      Eliminar
  2. Consegues provar isso? Sustenta a tua afirmação com casos reais! Mandar "postas de pescada" para o ar é muito simples.

    ResponderEliminar
  3. O ideal seria a livre prática ser feita em Portugal como é feita na Espanha e claro nos Países Baixos , Holanda e Bélgica até já a Suécia tem um serviço desse tipo, a lei é muito clara no primeiro País da Europa em que a mercadoria chega pode-se proceder ao seu desalfandegamento e a mercadoria viaja com origem comunitária dentro do espaço Europeu .

    Ao não adoptarmos estas medidas só perdemos dinheiro que poderia ficar nos cofres do Estado, basta ver que os Portos da Holanda são da entidades que mais geram receitas para o Estado Holandês, claro que tem a ver com o movimento dos navios, mas esse factor está directamente ligado as facilidades que existem desde há muito nesse País e claro depois a eficiência, mas se queremos que Sines seja uma nova Roterdão e isso é bem possivel, não podemos só olhar para as vias de comunicação, não digo que não sejam essenciais e importantes, mas a desburocratização das nossas várias sedes Alfandegárias terá de se modernizar, terá de se libertar de preconceitos do século passado e olhar em frente e dar o passo .

    Para terminar este acordo não é nada depois de bem espremido, a burocracia vai continuar, vamos continuar a sermos maltratados pelas instâncias aduaneiras e aqui ao lado em Espanha os serviços ganham força e toda a área dos serviços associados a todo este processo vai criando emprego e nós aqui a vê-las passar, enfim é o que temos .

    ResponderEliminar
  4. Idealmente Portugal proibia todos os navios que andam a poluir que é uma loucura de sequer atravessar águas territoriais portuguesas.
    Basta lembrar que uns três navios poluem tanto como todos os automóveis do planeta, devido ao tipo de combustível que utilizam. E estamos a falar de uns 30 mil navios destes! Já é altura de alguém dizer basta.
    Portugal gosta de estar sempre na frente em tudo o que é errado, poderia estar na frente do que é correcto, para variar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é dos comentários mais idiotas que já vi. O transporte marítimo de mercadorias é o modo mais eficiente neste momento. Existe no espaço europeu normas muito exigentes relativamente às emissões dos navios. Qualquer estrada deste país em hora de ponta tem maiores concentrações de gases poluentes do que as cerca de 300 navios e não 30000 que passam a 50 milhas da costa portuguesa. O que se deveria dizer basta é à quantidade de embarcações de recreio a motor que andam a passear nos rios e costa portuguesa e que poluem muito mais do que os navios que trabalham e ajudam a economia do país a ir para a frente. País de marinheiros este que permite que haja pessoas com este grau de formação a votar...

      Eliminar
    2. Eu escrevi que o comentário é idiota, não chamei idiota a ninguém. Ao contrário de você que especificamente me chamou a mim. Mas lá está são pessoas como você que este país anda pejado.

      Eliminar
  5. @João , é exactamente ao contrário, os navios porta-contentores poluem muito menos se comparado ao transporte terrestre por camião, penso que estejas a fazer confusão com navios petroleiros que não cumprem as regras e que lavam os seus tanques em alto mar ou até muito perto da costa após descarregarem os produtos que levam, mas não confundir os navios deixam uma pega ecológica bem mais baixa comparando a todos os outros métodos de transporte, aqui andam muito empatados com o comboio, mas é preciso perceber que navios que venham da China pode trazer de 10.000 a 18.000 contentores, já vistes quantos comboios eram necessários preparar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muita atenção aqui. A saber: as lavagens dos navios tanque são efectuadas de acordo com o anexo 1 e 2 da convenção internacional Marpol, a qual define rigorosos procedimentos para que essas lavagens sejam efectuadas. Como referi no meu comentário acima é muito pior as embarcações de recreio a motor. Isto não é só largar aqui umas bujardas falo de experiência própria porque trabalho no sector marítimo.

      Eliminar
  6. É preciso também perceber que cada vagão corresponderia a 1 contentor, agora é só fazer contas, dependendo da capacidade da potencia das locomotivas e igualmente será necessário perceber qual é taxa de esforço que a linha aguenta para podermos fazer um calculo de quantos vagões eram passiveis de serem levados em cada viagem, se fossem 10 vagões por comboio eram necessários 100 comboios para os navios de menor capacidade , para os de maior seriam necessários 180 comboios, mas penso não tenho a certeza o número máximo de vagões em Portugal são 25 por viagem , pelo menos os que fazem Lisboa Sines .

    ResponderEliminar
  7. CTT = Confias? Tás Tramado!!!
    De há 1 ano a esta parte, até cartas minhas, nacionais, desapareceram...
    Para não falar no roubo que fazem na alfandega...

    ResponderEliminar
  8. Então despensa assinatura de recepção no destinatário? Ou seja alteram o estado electronicamente no site e ja está entregue? Boa sorte a provar que não receberam!

    ResponderEliminar

[pub]