2018/09/26

10 anos de Android - 3 smartphones que marcaram uma década


A propósito dos 10 anos do Android, resolvemos destacar três smartphones que tiveram um papel importante para o desenvolvimento deste sistema operativo mobile. Claro que se poderia falar de muitos outros smartphones - com os Nexus a serem opções óbvias - mas para não cairmos nessa tentação, escolhemos três modelos que também terão deixado a sua marca no universo Android.

Samsung Galaxy S



O Galaxy S da Samsung foi o primeiro smartphone desta série (Galaxy S), que aguarda agora pela chegada do Galaxy S10, equipamento sobre o qual recaem elevadas expectativas.

O Galaxy S apresentou-se com um CPU ARM Cortex A8 a 1GHz, 8 GB/16GB de armazenamento e 512 MB de RAM. Ecrã Super AMOLED de 4" com resolução 480x800, câmara traseira de 5 MP e câmara frontal VGA. Corria Android 2.1 (Eclair) e teve direito à actualização para o Android 2.3 Gingerbread. A sua popularidade foi tão grande, que a comunidade de developers acabou por disponibilizar várias actualizações para este smartphone da Samsung.


Motorola Moto G



Os Nexus abriram a porta a quem pretendia um smartphone capaz de um bom desempenho, por um preço acessível. Faltava no entanto um smartphone para a gama de preços dos 200€, minimamente competente, algo que demorou muito tempo a ser disponibilizado.

Esta honra acabou por caber à Motorola. O Moto G conseguiu criar um novo segmento de produto, o qual dominou durante vários anos sem que as outras marcas fossem capazes de apresentar um produto igualmente competitivo.

O Moto G foi lançado com um ecrã LCD de 4.5" (1280x720), processador CPU Snapdragon 400 quad-core a 1.2Ghz, 1GB de RAM, 8/16GB de flash, câmara de 5MP. Em 2014, a Motorola haveria de lançar uma actualização deste smartphone, com melhorias a nível do hardware, mantendo assim a fasquia muito elevada, neste segmento de mercado.


OnePlus One



Se os Nexus 4 e Nexus 5 conseguiram obter um elevado sucesso junto dos fãs do Android, o mesmo não veio a acontecer com o seu sucessor - o Nexus 6 - por culpa do seu preço elevado. Este aumento de preço dos Nexus veio criar um vazio no mercado, que veio a ser ocupado, de forma inesperada, por uma irreverente OnePlus.

O OnePlus One chegou com um ecrã de 5.5" Full HD (1920x1080), processador Snapdragon 801 a 2.5GHz, 3GB de RAM, 16/64GB de flash, câmaras de 13MP e 5MP frontal, bateria de 3100mAh, e uma versão do CyanogenMod oficial. Um conjunto de características que se tornou imbatível tendo em conta o preço de 269 euros para a versão de 16GB e 299 euros para o modelo de 64GB. Um verdadeiro - como era designado na altura - flagship killer.


Os tempos são outros


Curiosamente, os sucessores destes três smartphones já não têm o mesmo impacto nos dias que correm. Com outras marcas a assumirem uma ambição de conquistar o mercado. O Galaxy S9 tem no Huawei P20 um concorrente de peso. O Moto G é apenas mais um no concorrido segmento de gama média, já sem características diferenciadoras que o tornem único, e o OnePlus 6 já não desfruta da vantagem "preço" que deu fama aos modelos iniciais (bastando relembrar que até é mais caro que o Asus ZenFone 5Z). A par disto, marcas como a Xiaomi vão apostando cada vez mais no mercado ocidental, também com modelos a preço imbatível... e as previsões para o futuro complicam-se.

Foram dez anos muito interessantes, como serão os próximos dez?

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]