2018/09/25

Amazon Web Services abre escritório em Portugal


A Amazon chega finalmente a Portugal de forma oficial, mas por agora apenas na sua vertente de serviços na cloud: a AWS.

A Amazon Web Services (AWS) anunciou hoje a abertura do seu primeiro escritório em Lisboa, de modo a dar suporte um mais próximo e directo aos clientes em Portugal. O escritório apoiará todo o tipo de clientes - de pequenas startups a organizações de grande dimensão e sector público -  acompanhando a processo, cada vez mais comum, de migração para a cloud. O novo escritório aumenta a presença directa da AWS na Europa para 19 países, incluindo quatro regiões e 12 zonas de disponibilidade, estando ainda prevista outra região da AWS e mais três zonas de disponibilidade na Suécia ainda antes do final do ano.

A AWS fornece serviços de computing, armazenamento, redes, bases de dados e outros, incluindo soluções de inteligência artificial e machine learning, em modalidade on-demand e pay-as-you-go. Algumas das startups mais bem-sucedidas do mundo, tais como a Airbnb, Netflix e Tinder, bem como organizações corporativas como a Expedia, Formula 1 e a General Electric, ou ainda organizações governamentais como a Agência Espacial Europeia, o Ministério da Justiça do Reino Unido ou a NASA, usam as soluções da AWS para inovar, aumentar a sua agilidade e reduzir os seus custos de TI.


As equipas da AWS compostas por gestores de conta, gestores de parceiros, arquitectos de soluções e muitos outros profissionais estão já a apoiar os clientes portugueses a executar os mais diversos trabalhos em diferentes áreas, desde os ambientes de desenvolvimento e teste a análise de Big Data, mobile, web e social media, aplicações de negócio empresariais, Internet of Things (IoT) e workloads críticos. A AWS tem como clientes alguns dos negócios mais reconhecidos e em rápido crescimento de Portugal, incluindo a EDP - Energias de Portugal, Feedzai, Globalvia, Grupo Impresa, Jumia, Lusiaves, Miniclip, Prodsmart, OutSystems, Unbabel e Uniplaces, bem como organizações públicas como a Cidade do Porto. A AWS apresenta também um grupo activo de utilizadores Portugueses, com centenas de membros, que organiza encontros locais para developers, com o objectivo de partilhar as melhores práticas, conhecimentos e contactos entre profissionais.

O AWS Activate disponibiliza às startups os recursos que necessitam para arrancar em AWS – incluindo até $100,000 (USD) em créditos, formação, suporte e contacto com incubadoras, a que se juntam aceleradores e empresas de capital de risco, como a Founders Founders Portugal, Porto Design Factory, Startup Portugal, Startup Sintra ou a Indico Capital Partners e a Portugal Ventures.

Um exemplo de uma startup em Portugal que tirou partido do AWS Activate para crescer é a Unbabel. Trata-se de uma empresa que fornece serviços de traduções na sua plataforma baseada em inteligência artificial (IA). A AWS tem igualmente estado activa no setor da educação em Portugal, formando estudantes e a próxima geração de líderes de TI com o AWS Educate. O AWS Educate apoia os estudantes universitários e os professores a desenvolver conhecimentos e capacidades em cloud computing AWS, com o intuito de acelerar a aprendizagem relacionada com a cloud. As instituições que são membros do AWS Educate em Portugal incluem a Fundação Champalimaud em Lisboa, o Instituto Politécnico de Leiria, o Instituto Politécnico de Viseu e a Universidade do Algarve.

A chegada da AWS a Portugal disponibiliza também algumas oportunidades de emprego para os Portugueses, que se podem candidatar aws.amazon.com/careers.

... Agora só fica a faltar a "loja" e temos direito aos serviços Prime na sua totalidade, em vez de ser por empréstimo a partir da Amazon Espanha.

2 comentários:

  1. O desejo desenfreado por lucros astronómicos por parte de empresas gulosas como esta dificilmente tomarão o caso português em consideração a curto prazo quando o que está em causa é o mais basico direito de podermos ser tratados como outro qualquer povo.

    ResponderEliminar
  2. Mais giro, seria, caso houvesse jornalismo de investigação em Portugal, alguém ir ver porque é que a Amazon anunciou, inicialmente, este escritório para o Porto.... e depois de um "processo negocial", o dito aparece aberto em LX. E mais não digo. #LxGate

    ResponderEliminar

[pub]