2018/10/08

A12 da Apple tem desempenho próximo de um CPU "desktop"


Segundo testes realizados pelo site Anandtech, o mais recente CPU A12 da Apple, utilizado nos iPhones XS, tem um desempenho que supera todos os chips mobile e se aproxima dos valores dos mais recentes chips desktop.

Não é segredo que, desde que a Apple começou a criar os seus próprios chips (e agora até os seus GPUs), conseguiu manter um diferencial para o resto do segmento. Os iPhones conseguem, por norma, ter um melhor desempenho e níveis de consumo mais reduzidos, que todos os demais smartphones. E nos iPhone XS, o site Anandtech diz que a Apple até está a ser modesta nas melhorias conseguidas com o seu A12 fabricado em 7nm,

O A12 é um chip com quatro núcleos dedicados a tarefas de baixa intensidade e dois núcleos para tarefas mais exigentes. A Apple anuncia melhorias modestas de apenas 15% face ao A11... mas com um consumo que será cerca de metade.

Escapando ao actual Geekbench, que é acusado de dar vantagem aos chips da Apple, o Anandtech recorreu ao SPEC2006 para ficar com resultados com maior isenção... mal sabendo o que iria descobrir:


Se o A11 da Apple já conseguia superar o desempenho de concorrentes como o Snapdragon 835 e 845, Exynos 8895 e 9810, e do Kirin 970, o A12 distancia-se ainda mais e chega a níveis que começam a rivalizar com os que são obtidos por CPUs desktop (em processamento single-thread).

Isto significa que os CPUs mobile actuais que se aproximam do desempenho do A11 e A12 o fazem à custa de consumos muito superiores, e os que se aproximam dos consumos reduzidos o fazem à custa de desempenho significativamente inferior.

Fica lançado o desafio para a Qualcomm, Samsung e Huawei mostrem o que valem, com esta última a ter oportunidade para o fazer muito em breve, com a chegada do novo Kirin 980 no Mate 20 Pro, também fabricado em 7nm.

29 comentários:

  1. Dizem que o desempenho do cpu do Apple Watch 4,é semelhante ao do iPhone 6S.

    ResponderEliminar
  2. Por isso a arquitectura ARM está de facto a ameaçar a Intel e AMD, por esta razão é que num futuro muito próximo a própria Apple uma vez mais está a prepara-se para mudar o cenário dos cpus para os Macs , agora apontando as baterias para a arquitectura ARM e para desenvolvimento de engenharia dentro de portas.

    ResponderEliminar
  3. Ai Carlos, quando vi este artigo no pplware pensei logo o grande bait que isto é.

    Muito bem, é que este chip (A12) é do tamanho de uma unha. Então não quero nenhum intel nunca mais. quero empilhar uns 10 ARMs e ter um super computador no espaço que teria um CPU intel. é isso? e por menos energia!

    Mal posso esperar para ter um pc 10x mais rápido!

    Ohh.. espera.. é que são BENCHMARKs e que na realidade grande treta e que na realidade não se traduz em nenhuma vantagem para os cenários de uso reais:
    https://abertoatedemadrugada.com/2018/10/iphone-xs-vs-galaxy-note-9.html

    certo? tanta sofisticação, evolução e buzzwords neste "super chip" e na verdade fica em linha da concorrência. mas que pena.. ;-p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "The benchmark applications are programs that perform a strict set of operation that simulate real time situations, such as physical simulations, 3D graphics, and image processing. These applications (...) are derived from applications that are freely available to the public and each application is assigned a weight based on its importance." - https://en.wikipedia.org/wiki/SPECfp

      Olha que a Intel deve estar com dores de cabeça bem reais, já a pensar em quando é que a Apple lançará portáteis que serão mais rápidos que os portáteis com Intel e com autonomia mais prolongada.

      Eliminar
    2. Diz lá com calma: "The benchmark applications are programs that perform a strict set of operation"

      Strict set.

      Estamos a comparar portanto o performance em floating point. ok, que quer dizer perto de nada? faltam todas as outras operações.

      https://www.intel.com/content/www/us/en/benchmarks/server/xeon-e5-v4/xeon-e5-v4-enterprise-general-compute.html

      score de 1380 / 18 cores dá 76 de specspeed. por isso para um subset muitoooooooooooo limitado de instrucoes e operações, em single thead está a metade do caminho de superar o performance de um cpu normal...

      Eliminar
    3. Portanto, os benchmarks não servem, abrir apps não serve, ter mais autonomia que dispositivos concorrentes usando metade da bateria não serve... Decerto concordarás, pelo menos, que assim não seja produtivo perder tempo a tentar discutir (no bom sentido) estas questões.

      Eliminar
    4. Eu não disse que não serve. Disse que a unica comparação que acho aceitável são as do género do artigo do outro dia:
      https://abertoatedemadrugada.com/2018/10/iphone-xs-vs-galaxy-note-9.html


      O resto vale o que vale, que é perto de nada. É a mesma coisa dizer que a minha pen de minar bitcoins faz muitos mais hashes e é 200x mais rápida que o meu Intel Xeon e que por isso bate os desktops...

      O que defendo é que testes de page loads, abrir apps, startup times e por aí fora sim, sao benchmarks de qualidade de experiência e velocidade do dispositivo.

      De que vale ser 4x, 12x, 18x mais rápido nestas coisas se depois a fazer rendering de uma página é muito mais lento?

      Eliminar
    5. Olha que deste um exemplo perfeito: minar bitcoins. É precisamente isso de que se trata.
      Imagina que de um lado tens um chip que pode gerar 10 Bitcoins por dia mas gasta 10000€ de electricidade; do outro lado tens um chip que só gere 1 bitcoin mas só gasta 100€... É preciso fazer contas para saber qual seria mais rentável? Aqui é algo aproximado, em termos de computação geral.

      Sim, levado ao extremo, nada disto importa, pois podes ter o CPU mais eficiente do mundo, e depois estares 1 minuto à espera que o teu email abra, porque estás num local sem wifi e sem 3G; mas analisando-se o factor desempenho/consumo, que é crítico para muitos outros sectores (como servidores)... não deixa de ser relevante. (E acaba também por o ser também para uso doméstico, para as tarefas habitualmente mais demoradas, como processar vídeo, músicas, etc. - mesmo se para a maioria dos casos, para a maioria das pessoas, o CPU passe 99% do seu tempo à espera do que fazer.)

      Eliminar
    6. Cá está um comentário que gostei muito sobre estas comparações exageradas com os processadores normais:

      It might be faster in single thread, but in MT it gets toasted by the Xeon. The Xeon is 9000$ for a few reasons:
      - it is an enterprise chip;
      - it supports ecc;
      - it supports up to 8 cpus on a board;
      - it supports tons of ram, a LOT of memory channels;
      - it has almost 40MB of L3 cache, compared to 8mb in a12;
      - it has a ring bus architecture meaning all those cores have very low latency between them and to memory;
      - it has CISC instructions, meaning that when you get out of basic phone apps and you start doing scientific/database/HPC stuff, you will see a lot of benefits and performance improvements from executing a single instruction for a specific operation, compared to the RISC nature of A12;
      - it supports AVX512, needed for high performance computing. In this, the A12 would get smashed;
      - and many more;
      So the Xeon 8180 is still an mighty impressive chip and Intel has invested some real thought and experience into making it. Things that Apple doesn't have.
      I get it, it is nice to see Apple having a chip with this much compute power in such a low TDP and it is due to the fact that x86 chips have a lot of extra stuff added in for legacy. But don't get carried away with this, what Apple is doing now from uArch point of view is not new. Desktop chip have had this stuff 15 years ago. The difference is that Apple works on the latest fabrication process and doesn't care about x86 legacy.

      Eliminar
    7. Há que não tirar as coisas do contexto: ninguém está a dizer que o A12 vai levar a Intel à falência e que todos os data center vão a correr trocar de motherboards. O que se está a dizer é que o A12 está a atingir um patamar de desempenho - em single thread! (que parece ter também ficado esquecido) - que começa a aproximar-se de um CPU desktop.
      Mais, comparado com todos os demais chips mobile, não só atinge esse desempenho, como o faz gastando muito menos energia.

      Extrapolando-se isto, encaixa perfeitamente na ideia de que, daqui por mais umas gerações, a Apple possa mater um seu chip "B15" num MacBook e ter grandes vantagens sobre todas as máquinas com chips Intel, tanto em desempenho como em consumo. É disso que se trata.

      P.S. Nos servidores, há muito que temos empresas a promover a utilização de chips ARM para tarefas onde são mais competitivos que chips Intel - a própria ARM tem criado núcleos específicos para esse fim; este A12 da Apple servirá apenas como comparativo para que possa ver se esses chips serão tão eficientes quanto potencialmente poderiam ser.

      Eliminar
  4. Sim mas a Inês tem um ponto e muito consistente do meu ponto de vista ; veam este vídeo que no fundo dá força ao que a Inês afirma :

    https://www.youtube.com/watch?v=W68nuVxOXaE&t=20s&index=24&list=FLPvvLPI9JQsvNqck8quAXnQ

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora. E não vamos esquecer que estes telefones testam O PICO DOS PICOS. O A11 mal conseguia aguentar a frequência máxima, caindo logo a seguir 40% (versus queda de 10% no snapdragon)!!!!!!! Este A12 não deve ser diferente. Dá uma grande ilusão de velocidade que depois não se reflete em usos reais.

      Eliminar
    2. Estamos a falar do "chip", da sua arquitectura, do seu desempenho, da sua eficiência, usando um benchmark reconhecido pela indústria (em vez do Geekbench, que privilegia o iOS e que já o ano passado colocava o A11 a par de um MacBook com CPU Intel).

      Não estamos a falar do iPhone nem da sua implementação nele. O teste refere que foi feito com uma ventoinha apontada ao iPhone, para que a gestão da temperatura não interferisse com os resultados.

      Os chamados "usos reais" de pouco servem, se para ti for uma coisa e para outra pessoa outra coisa: temos o vídeo a mostrar abrir apps (é um uso real?) e o iPhone conseguiu superar o Note 9 na primeira ronda, ficando atrás na segunda.
      Quem só usar uma app iOS que abra mais rapidamente que a versão Android, ou vice-versa, será um indicador correcto?

      Se considerares uso real navegar na net via 4G, segundo o Toms Hardware diz que o Galaxy Note 9 aguenta 11h26m vs 10h38m do XS Max. Se considerares que o primeiro tem uma bateria de 4000mAh e o segundo tem de 3179mAh, isso dá uma média de consumo de 5.83mAh/min para o Note 9, e de 4.98mAh/min para o iPhone, nesta tarefa (será este o caso real que interessa?)

      Não percebo a complicação de admitir que o A12 da Apple é mais eficiente que os chips concorrentes, e que a sua sinergia com o iOS permite à Apple obter melhores prestações com o hardware que tem.

      Não há falta de coisas a criticar à Apple (abrandamento secreto por conta das baterias, e outras que tais)... mas também há que lhes dar mérito nas coisas que fazem bem. O Android muito tem melhorado por conta de coisas que a Apple fez no iOS, e o iOS também muito tem aproveitado coisas nascidas no Android... Estamos muito melhor servidos por haver esta competição do que se não houvesse.

      Eliminar
    3. Não quis dizer nada em contrário a nenhuma dessas afirmações :-)

      Eliminar
  5. Ainda estou para perceber qual é o interesse em insistir na comparação entre os novos processadores do iPhone com os dos PCs e o iPhone com um PC.

    No que interessa, relativamente a smartphones, o que a Anandtech diz é:
    "O contraste com os melhores SoC Android têm para oferecer é extremamente gritante – os SoCs da Apple têm cerca do dobro do desempenho e 3x no consumo de energia“.

    "Ah, mas a abrir as apps não sei quê ...". Tretas.

    "O sucesso é como um peido, só quando é nosso é que cheira bem" (Só me lembro da frase, se alguém conhecer o livro diga-me, porque gostava de o ler outra vez.).

    O sucesso da Apple cheira mal a muitos narizes. "Mas qual sucesso, os clientes da Apple são mas é uma gentelha desqualificada". Muitos sucessos para a Apple e aromas para esses narizes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que todos benificiamos de uma grande competitividade neste sector. Apenas que pode ser muito mal interpretado. Este processador está longe de substituir um Desktop. Mas vivemos sem dúvida tempos interessantes.

      Eliminar
    2. Olha que não tanto assim. Há muito que tens Chromebooks com CPUs ARM, e desenrascam-se perfeitamente; e mais recentemente até tens Windows para CPUs ARM (que não se desenrascam assim tão bem, mas por culpa do Windows "mais pesado"). Se pegares num iPad Pro como referência, já não há muitas (nenhuma?) tarefa que faças num desktop que não possas fazer com destes CPUs... E não esquecendo que estamos a falar de CPUs criados com grandes constrangimentos a nível de consumos e dissipação - se a ideia fosse aplicar-lhes um dissipador XPTO e sem problemas de ter que controlar os consumos, não tenho dúvidas que serviriam perfeitamente bem para funcionar num desktop (e não, não seriam mais rápidos que um Intel Core i9 a 5GHz... mas provavelmente deixariam os Atoms para trás. :)

      Eliminar
    3. A Intel parou no tempo há muitos anos, só agora com o I9 é que talvez possa existir diferenças e mesmo assim teremos de as testar, são CPUs pouco efecientes energeticamente devido a sua litografia ultrapassada, nos ARM ja estamos com 7 manómetros e já com promessas de baixar a Intel só para o ano é que vai construir um cpu com 10 , mas isto é o que eles têm dito há uma serie de anos consecutivos e não têm cumprido a Intel já para os smartwatch não fazia um cpu novo há 3 anos.

      Eliminar
  6. "Olha que deste um exemplo perfeito: minar bitcoins. É precisamente isso de que se trata.
    Imagina que de um lado tens um chip que pode gerar 10 Bitcoins por dia mas gasta 10000€ de electricidade; do outro lado tens um chip que só gere 1 bitcoin mas só gasta 100€... É preciso fazer contas para saber qual seria mais rentável? Aqui é algo aproximado, em termos de computação geral."

    Já agora... Qual preferias? Um que te dá lucro de 50k dia ou outro que te dá lucro 5.9k dia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente que a resposta a uma questão dessas terá que ser sempre baseada nos valores da Bitcoin e da eletricidade.
      Se o valor da Bitcoin estiver muito baixo, obviamente que o gasto de eletricidade irá afundar o lucro obtido enquanto que, se o valor da Bitcoin já estiver perto daqueles valores de dezembro de 2017, provavelmente o gasto da eletricidade já poderá ser mínimo.

      Mas depois também se coloca a questão da dificuldade, pois esta aumenta de forma automática sempre que o número de máquinas mineradoras também aumenta, pelo que, tal como diria o atual dirigente máximo da ONU, "é fazer as contas."

      Eliminar
    2. Eu sei disso, simplesmente fiz as contas ao valor actual da Bitcoin (+ou-) e ao preço que ele estipulou para gasto de electricidade.

      Eliminar
    3. Há dúvidas? :)
      Usando o segundo, para o mesmo gasto de electricidade equivalente (10000€) ficarias a ganhar 590k / dia.

      Eliminar
    4. Ah, já percebi o que tu pensaste, neste caso tinhas que ter 100 dos 'eficientes' para ganhares 590k. E os outros gastos que terias para teres 100? Como espaço que ocupa, arrefecimento de 100 no mesmo espaço (que seria imenso), 100 boards, manutenção de 100 aparelhos, etc.
      Isso está aí uma lógica, vou comprar tantos até gastar o mesmo do outro.

      É bem pensar assim...

      Eliminar
    5. Estamos a falar "teoricamente". A questão era precisamente a relação custo / benefício. Sim, haveria que considerar factores como espaço, volume, etc. etc. etc. Mas estamos a falar de *eficiência*, que é o que manda em muitas áreas, como nas dos data centers. Um chip mais eficiente irá gastar menos, gerar menos calor, etc. tornando-se mais atractivo para operações 24/7.

      Esqueces-te também de que não estamos a falar de chips com o mesmo custo nem tão pouco o volume. Por exemplo, um Xeon é um chip "monstruoso", grande, dispendioso; um chip como um ARM é infinitamente mais barato e pequeno. No final, vai sempre dar ao mesmo: qual o benefício que tenho, e quanto é que isso me custa. Se ficar mais barato ter 100 máquinas (com todos os custos associados contabilizados) a fazer o trabalho de 1... será essa a opção mais acertada.

      (Aliás, há muito que podes ver isso em acção: a Google ficou famosa por abdicar de usar servidores profissionais dispendiosos, optando por usar computadores comuns "às carradas", que mesmo assim ficavam mais baratos...)

      Eliminar
    6. A ideia nem era gerar dinheiro ou não. ou o consumo. era ser um processador limitado que faz uma coisa muito bem versus ser um processador multifacetado e completo

      Eliminar
  7. Tenho de acreditar em ti quando dizes que está perto dos desktops e que a Intel tem de ter medo ou há fontes dessas afirmações? É que o artigo não tem nada haver com a Intel...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se leres o link para a fonte da notícias até ao final, verás: "... we see that the A12 outperforms a moderately-clocked Skylake CPU in single-threaded performance. Of course there’s compiler considerations and various frequency concerns to take into account, but still we’re now talking about very small margins until Apple’s mobile SoCs outperform the fastest desktop CPUs in terms of ST performance"

      Eliminar
    2. ...a fazer contas. falta-lhe tudo o resto para ser um processador COMPLETO para o dia a dia

      Eliminar

[pub]