2018/10/25

Xiaomi apresenta o Mi Mix 3


A Xiaomi já revelou finalmente o seu Mi Mix 3, que finalmente concretiza o objectivo deste modelo atingir o ecrã "total".

Depois do Mi Mix se ter tornado no modelo de referência no mercado que foi visto como um impulsionador na redução das margens no ecrã (embora mantendo uma margem na parte inferior, que foi sendo progressivamente reduzida a cada nova geração), eis que o Mi Mix 3 consegue finalmente cumprir com esse objectivo, e sem recorrer ao notch que continua a não ser apreciado por muitos utilizadores. Precisamemente por isso, as câmaras frontais ficam agora posicionada numa secção deslizante (manualmente).

O ecrã OLED Full HD+ de 6.4" do Mix Mix 3 passa a ocupar 93.4% da área frontal, temos um Snapdragon 845 como CPU, 6GB+128GB / 8GB+256GB (e também uma versão com 10GB de RAM!), câmara traseira dupla de 12MP telefoto + grande angular, câmara frontal dupla 24MP + 2MP, e carregamento wireless de 10W. Infelizmente, por muito que as fotos promocionais o tentem esconder, em vez do esperado sensor de impressões digitais no ecrã este Mi Mix 3 continua a manter o sensor na parte traseira (e considerando que as câmaras frontais estão "tapadas", nem sequer será prático recorrer ao reconhecimento facial para desbloquear sem tocar "atrás".)


Os preços na China começam nos 416 euros para a versão de 6GB+128GB, enquanto que a versão de 8GB+256GB vai para os 504 euros. A versão "Forbidden City Palace Museum" com 10GB não esconde o seu estatuto de luxo, saltando para os 604 euros (preço que não se justifica).


Embora seja um modelo apetecível, há no entanto que ter alguma cautela, pois está prevista uma versão com 5G para o mercado Europeu que deverá ser disponibilizada no início de 2019; e eu também arriscaria dizer que é bem provável que não demore a surgir um Mix 3S com sensor de impressões digitais integrado no ecrã, tal como a OnePlus irá fazer com o seu 6T.

14 comentários:

  1. Um "notch" ali teria ficado bem melhor do que aquela testa gigante, na minha opinião!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual testa? Aquilo só desliza para cima quando queres usar a camera frontal. Não olhas-te para a outra foto onde não tem "testa" nenhuma?!?!

      Eliminar
    2. Aquilo faz slide out. Não é testa nenhuma. E milvezes melhor que um notch por causa disso.

      Eliminar
  2. https://www.xiaomitoday.com/wp-content/uploads/2018/10/Xiaomi-Mi-MIX-3-19-730x405.jpg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com efeito, aquela estética não favorece nada o equipamento...

      Eliminar
  3. Essa parte que falas é deslizante para quando queres accionar a câmera frontal .

    ResponderEliminar
  4. Para mim nesta altura fabricar smartphones com sensor de impressão digital na traseira é um erro enorme, já tive um e não pretendo voltar a ter, simplesmente é muito mais prático ter o sensor na frente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na traseira o movimento do dedo é natural!

      Eliminar
    2. Eu tenho na frente do Zuk Z1 é simplesmente horrível e detesto.

      Eliminar
    3. Justificando a minha opinião, o sensor na traseira apenas pode ser usado pelos indicadores e quando está na mão certo? Se estiver na frente pode ser utilizado por qualquer dedo mesmo quando está pousado.

      Eliminar
  5. O ideal era teres os dois, pois quando tens o telefone pousado na mesa, tens que o levantar para colocar o dedo, mas quando estás com ele na mão, dá muito jeito o sensor ser atrás.

    ResponderEliminar
  6. Quanto à localização do sensor de impressões digitais, julgo ser uma questão de hábito.
    Já fui alternando entre os dois

    ResponderEliminar
  7. Partes móveis? Não me parece que vá correr bem. É melhor não deixar cair quando estiver "slide up".

    ResponderEliminar
  8. Nunca ninguém está satisfeito... O melhor mesmo é não terem, assim não há chatices de escolher este ou aquilo.

    ResponderEliminar

[pub]