2019/06/24

UnPrint quer libertar portugueses dos talões em papel


Se vos irrita a quantidade de papel que é impresso em cada compra que se faz, e que é quase sempre atirado imediatamente para o lixo, a solução poderá passar pela utilização da UnPrint.

A UnPrint é uma plataforma criada pela empresa Something Apps, e que quer acabar com as facturas, recibos e talões em papel que se desperdiçam a cada compra. É assustador pensar nas toneladas de papel gastas diariamente a imprimir "talões" de compras corriqueiras e que são atirados directamente para o lixo (ou, muitas vezes, para o chão) - e sem se falar de todo o desperdício associado a nível de tinta e / ou energia gastos para os imprimir.

Com este serviço, o objectivo é eliminar por completo a utilização do papel nos postos de venda, sendo isso substituído por documentação electrónica que ficará acessível aos utilizadores através da app ou na web, e permitindo também fazer a gestão de coisas como cartões de cliente, gestão de descontos e promoções, etc. Os utilizadores ficam também com acesso a toda uma panóplia de informação sobre os seus gastos, permitindo um melhor controlo sobre onde estão a gastar o seu dinheiro.



Este é o tipo de serviço que idealmente deveria ser fornecido de base pelo próprio serviço de Finanças (que, de qualquer maneira, já estará a controlar estas coisas para quem utilizar o seu NIF), para que não se ficasse dependente de um serviço de terceiros na cloud, cuja garantia de longevidade será sempre uma preocupação. Mas nesta fase, todas as soluções que permitam evitar o desperdício de papel impresso para ir para o lixo, serão bem vindas e apreciadas.

11 comentários:

  1. Há anos que defendo o fim do papel na emissão do talão ou fatura.
    Tem que ser digital, e quem quiser em papel, deveria pagar uma taxa, como nos sacos plásticos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo.

      Não se pode obrigar as pessoas a disporem de equipamentos eletrónicos sob pena de terem que pagar 'taxas'.

      Isso seria altamente discriminatório.

      Sabemos que é para lá que a sociedade parece caminhar, mas torna-lo uma imposição sob pena de pagamento de taxas nem sequer deve ser constitucional.

      Eliminar
    2. Concordo, mas sem dúvida que este passo tem de ser dado, a regra deveria ser não existir o papel e a exceção seria pedir a emissão em papel.

      A situação actual é que é horrível, eu a grande maioria das vezes mando logo o papel para o lixo, mesmo nos papéis que suportam garantias de equipamentos ou produtos, eu já me vi confrontado com a situação do papel térmico estar quase completamente apagado.

      Vamos lá poupar o meio ambiente.

      Eliminar
    3. Vitor, as pessoas não terão de pagar qualquer tipo de taxa. Essas taxas são aplicadas apenas aos comerciantes/lojistas, taxa essa que é uma ninharia comparada com os gastos que têm em papel... Para o uso comum(utilizador) não há qualquer tipo de custos associados

      Eliminar
  2. Um papelinho incomoda, mas magotes de papel e plástico a envolver todo o tipo de produtos é normal.
    Por estas e por outras eu não dou credibilidade estes novos ecologistas que saem à rua a berrar, mas não dispensam todas as mordomias e luxos que o consumo desenfreado proporciona. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os passos ajudam, acha melhor isto ou não se fazer nada?

      Eliminar
    2. É preciso mais, só com um novo paradigma de desenvolvimento se pode salvar o planeta, trocar o fumo dos carros em Lisboa pelo dos navios de cruzeiro não ajuda em nada o planeta, é exemplo.

      Eliminar
    3. Luís M., está a precisar de atualizar os dados em que se baseia. Se calhar uma atualização ao seu sistema não lhe fazia mal.

      Eliminar
    4. Luis M., não me diga que é daquelas pessoas que manda o lixo para o chão a pensar "sozinho não faço diferença".. Nada muda de um dia para o outro! Apenas passo a passo conseguiremos mudar e este é um grande passo nesse sentido

      Eliminar
  3. Alguém por aqui já usa o UnPrint?

    ResponderEliminar

[pub]