2019/07/17

Redes sociais mais perturbadoras para os jovens que os jogos


Muitas vezes se critica os jovens por passarem demasiado tempo agarrado aos jogos, mas um estudo revela que o tempo passado nas redes sociais poderá ser bem mais problemático para os jovens.

Um estudo realizado ao longo de quatro anos e que acompanhou mais de 3800 jovens no Canadá, analisou o tempo que passaram nas redes sociais, em jogos, e a ver TV. Os resultados indicaram que o número de jovens com sintomas de depressão era maior entre aqueles que passavam mais tempo nas redes sociais e a ver TV - um factor atribuído ao descontentamento de comparar a sua vida com a vida ilusória que outros partilham.

Curiosamente, os que passavam mais tempo em jogos pareciam estar imunes a este fenómeno, e não sendo um caso de "isolamento social", já que 70% optava por jogos multiplayer, tanto online como na vida real. Um resultado inesperado mas que valida a ideia de que os jogos contribuem para a boa disposição e não para a frustração dos jogadores.

Os investigadores dizem que não se devem atirar completamente as culpas para as redes, mas que os resultados aconselham que haja um acompanhamento e monitorização mais cuidada entre os jovens que usam redes sociais - algo que é praticamente inevitável, já que em média os jovens passam entre 6 e 7 horas por dia em frente a um ecrã.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]