2019/09/25

App Dabox da CGD quer ser o "treinador financeiro" dos portugueses


Os bancos nacionais estão a ser forçados a "mexerem-se" para acompanharem os tempos, e a resposta da Caixa Geral de Depósitos é a app Dabox, que pretende ser o "treinador financeiro" dos portugueses.

Depois de anos (décadas?) sem qualquer interesse em acompanharem os avanços tecnológicos, os parecem ter agora percebido que não podem ficar quietos caso queiram manter-se atractivos face às alternativas digitais que vão surgindo. Por agora, parecem estar fascinados com a obrigatoriedade europeia de disponibilizarem o acesso livre aos dados dos clientes (por parte deles), independentemente do banco, coisa que a maioria dos bancos está a fazer, permitindo adicionar contas de outros bancos às suas apps, para centralizar o acesso aos saldos (e futuramente até fazer operações).

A app Dabox da CGD também tem essa componente, mas vai um pouco mais longe, ao prometer fazer um controlo mais cuidado dos ganhos e gastos dos clientes, de modo a que tenham um melhor controlo sobre o seu dinheiro; não só para saberem se estão a fazer gastos exagerados, como também definir metas de poupança, por exemplo, para uma viagem ou para comparem o novo smartphone dos seus sonhos.

Pessoalmente, penso que isto não será suficiente para reconquistar a confiança dos clientes que não tiverem a memória curta e se lembrarem de tudo o que a banca nacional tem feito. Basta relembrar o recente episódio com o MB Way, serviço que tinha tudo para conquistar os portugueses, e que depois levou forte travão ao começarem todos a exigir que o serviço fosse usado através das suas próprias apps em vez da app genérica MB Way (para não falar das comissões).

Esta Dabox será um bom passo no sentido certo... mas o problema não é algo que se resolva unicamente com uma app bonita e moderna.

9 comentários:

  1. Gerir as nossas finanças pessoais não é enviar o homem à lua.
    Aliás, até acho que este tipo de soluções apenas funcionam para quem já tem bons hábitos de poupança.

    ResponderEliminar
  2. Os gestores de bancos portugueses andaram décadas a seguir a "escola" do Ricardo Salgado e agora vê-se no que deu...

    O Millennium BCP ainda chegou a lançar una espécie de "brincadeira" (ainda disponível na página internet) que ajuda a compreender onde gastamos o dinheiro (supermercado, habitação, oficina, lazer, diversos) mas é xoisa muito fracota...

    ResponderEliminar
  3. Mas agora virou moda partilhar a nossa vida financeira com o nosso banco?
    Gostava de ter uma aplicação com estas caracteristicas, mas que fosse independentes dos bancos, que não vendesse os meus dados como fonte de receita.
    Lá por a PSD2 ter disponibilizado esta opção não quer dizer que vá a correr usá-la...
    Uma simples folha de cálculo também permite ter uma "visão 360º", isto para que gere finanças (e pode), não para quem não pode devido á falta de dinheiro ou quem só ve o saldo quando chega a zero..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto... agora que estão a perceber que "qualquer serviço" poderá ter acesso aos dados (como noutros países acontece há décadas, facilitando a gestão sem depender dos "favores" dos bancos), querem ser eles a apresentarem-se nesse papel...

      Lembro-me de usar o MS Money na década de 90, preenchendo tudo há mão, e já na altura aquilo contar com integração com alguns bancos nos EUA... Foi pena a MS depois descontinuar aquilo (embora seja verdade que deixei de o utilizar muito antes de ter sido abandonado, pelo trabalho que dava preencher tudo à mão! :)

      Eliminar
    2. tb uso a spendee. usas com integração dos bancos ? eu aind faço à unha

      Eliminar
  4. O site e-fatura tem lá tudo, desde que tenham pedido fatura com NIF.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo? Tem as despesas.. aqui estamos a falar de ter uma visão das poupanças + despesas..

      Eliminar

[pub]