2020/02/05

Motorola Razr dobrável é "impossível" de reparar


O novo Razr pode ser um dos smartphones mais atractivos do momento com ecrã dobrável, mas quem comprar deverá estar mentalizado para que este modelo não será fácil de reparar.

A desmontagem do novo Razr demonstra as imensas dificuldades em abrir este smartphone, que não facilita o acesso aos seus componente internos. Por outro lado, já seria o tipo de coisa que se poderia esperar de um modelo compacto como este, que ainda por cima conta com a complexidade mecânica adicional do sistema de dobragem.

Ninguém compra um smartphone a pensar na trabalheira / custo das suas eventuais reparações; mas considerando que algumas das operações acabarão por ser inevitáveis (como a substituição da bateria ao fim de alguns anos), seria simpático ver os fabricantes darem um pouco mais de atenção a estes detalhes. Mas, como se vê, pelo menos nesta primeira geração de dispositivos com ecrãs dobráveis, não foi essa a prioridade...

3 comentários:

  1. Hello

    A primeira coisa que se vê ao fim de abrir o tlm é a bateria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema não será tanto vê-las, é estarem coladas.

      Eliminar
  2. Se visualizar o video até ao fim verá que não é "a bateria" mas sim "as baterias".
    O telemóvel tem duas baterias, uma relativamente fácil de substituir dada a vulgaridade actual da instalação na maioria dos telemóveis hoje em dia, e a outra colada ao ecrã que só têm acesso no fim de desmontar o telemóvel praticamente todo e com um risco maior de danificar o ecrã.

    ResponderEliminar

[pub]