2020/02/28

O monopólio da Apple no iOS e App Store


A Apple tem feito todos os possíveis por se esquivar às acusações de monopólio no iOS e na App Store, mas começa a ser cada vez mais difícil fazê-lo perante os casos que se vão amontoando contra si.

Para os utilizadores, o ecossistema da Apple é um sistema que "funciona", raras vezes sendo necessário espreitar para ver o que se passa nos bastidores. No entanto, vão sendo cada vez mais os casos que se tornam visíveis - que vão desde o encaminhamento da Apple feito aos developers para que fugissem das apps de baixo custo e em vez disso optassem pelas assinaturas com pagamentos recorrentes (uma das pragas actuais da App Store); a coisas mais ridículas, como impedir que apps como a Netflix sequer indiquem como é que os clientes poderão subscrever o serviço ou fazer o pagamento fora da App Store, para escaparem à comissão de 30% da Apple.

E a questão do abuso de poder nem sequer se limita apenas a ditar, muitas vezes sem qualquer lógica perceptível, o que pode entrar ou não na App Store. Actualmente a Apple tem estado envolvida num caso com a Tile, fabricante de tags de localização Bluetooth, com a qual manteve grande proximidade... até depois contratar o engenheiro da Tile que tinha sido enviado para a Apple para auxiliar na integração, suspender a venda dos trackers Tile na sua loja... e estar a preparar os seus próprios trackers de localização AirTags. Um projecto que poderá ter sido decidido com base nas estatísticas de utilização da app Tile, incluindo dados a que a Apple terá acesso mas que nem sequer partilhará com o developer.

Actualmente, já se vai falando que a Apple permitirá, no iOS 14, que os utilizadores definam apps concorrentes como apps pré-definidas, para o email e browser. Mas, poderá ser apenas um caso de tentar distrair as atenções daquilo que realmente interessa: que enquanto a Apple dominar a porta de acesso ao iOS - a App Store - não poderá haver verdadeira concorrência na sua plataforma.

Inevitavelmente, por muitas desculpas que a Apple atire a propósito dos riscos de segurança, a Apple terá que permitir que os utilizadores instalem as apps que bem quiserem nos seus iPhones e iPads, sem passar pela App Store, incluindo a instalação de "app stores" alternativas.

2 comentários:

  1. Na minha opinião a Apple faz bem em não permitir a instalação da aplicações que não através da AppStore. Já se sabe que essa é a sua posição, para bem ou para mal, pelo que quem o quer fazer, não compra iPhone ou iPad...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo. A posição tecnológica da Apple no planeta é suficiente para que os seus clientes mereçam uma maior abertura à concorrência.

      Eliminar

[pub]