2020/07/05

Batterygate pode custar €60 por iPhone na Europa à Apple


Diversas organizações de defesa do consumidor, incluindo a Deco-Proteste portuguesa, estão a exigir que a Apple compense os clientes europeus devido ao caso batterygate, em que secretamente abrandava os iPhones com baterias envelhecidas.

O batterygate foi um dos episódios mais infelizes da Apple nos últimos anos, tendo durante bastante tempo negado que estava a abrandar os iPhones (e quem tentava denunciar este comportamento ainda se arriscava a ser insultado por alguns fãs da marca). Eventualmente, as provas lá se foram amontoando ao ponto da Apple ter sido forçada a reconhecer que abrandava de facto os iPhones, posteriormente tentando fazer esquecer a polémica ao anunciar um programa de troca de baterias a preço reduzido e que no próximo iOS disponibilizaria uma opção para não ser feito qualquer abrandamento mesmo em iPhones com baterias mais antigas.

O caso parecia ter ficado encerrado... mas agora volta para assombrar a Apple. Um grupo de organizações de defesa do consumidor - Test Achats (Bélgica), OCU (Espanha), Deco-Proteste (Portugal), AltroConsumo (Itália) e Proteste (Brasil) - está a exigir que a Apple compense os clientes pagando €60 por cada iPhone.

Mesmo tendo em conta que seria um pequeno preço a pagar, pela forma como a Apple lidou com o assunto, penso que eventualmente seria bastante mais produtivo e eficaz exigir que a Apple simplesmente mantivesse o preço reduzido para substituição de baterias nos pontos de assistência oficiais. Na altura, o preço foi reduzido de $79 para $29 - e assim, ficou automaticamente demonstrado que a Apple tinha capacidade para implementar esses preços. Se vierem a ser forçados a pagar €60 de indemnização, será um valor que nem sequer chega para pagar uma troca de bateria ao preço "normal".

1 comentário:

[pub]