2020/07/29

Firefox 79 chega ao Android com extensões limitadas


A Mozilla fez chegar um novo Firefox ao Android, que adopta o seu mais recente motor do browser, mas que infelizmente se esquece do acesso às extensões, dando apenas acesso às nove que foram consideradas mais importantes.

O Firefox para Android estava parado há cerca de um ano, com as novidades a serem experimentadas na versão beta, e só agora chegando à versão normal para o público - como revela o salto da versão v68 para a v79. Há inúmeras melhorias, incluindo um novo GeckoView com melhor desempenho e mais opções de privacidade, agupamento de tabs, suporte para dark mode, interface renovado com barra de endereço em baixo, e muito mais. No entanto, o que está a preocupar muitos dos fãs do Firefox são as extensões - ou melhor dizendo: a falta delas.

A Mozilla lançou este novo Firefox com acesso a apenas 9 extensões:
  1. uBlock Origin
  2. Dark Reader
  3. HTTPS Everywhere
  4. Privacy Badger
  5. NoScript Security Suite
  6. Decentraleyes
  7. Search by Image
  8. YouTube High Definition
  9. Privacy Possum



Sendo o Firefox um dos browsers que há mais tempo é melhorado por extensões, é fácil perceber como esta redução preocupa os seus utilizadores. Especialmente tendo em conta que, a partir de agora, todo e qualquer developer terá que ser "parceiro" da Mozilla se quiser disponibilizar e actualizar as suas extensões para o Firefox, sem que haja qualquer opção fácil para que os utilizadores possam instalar extensões não oficiais.

Esperemos que a Mozilla reconsidere a sua postura, sob pena de alienar alguns dos seus fãs de longa data...

5 comentários:

  1. Presumo que seja uma questão relacionada com a segurança.
    Só com grande domínio sobre a qualidade (e seriedade) das extensões é que será possível ao navegador Mozilla obter maior credibilidade que a concorrência.

    E pelo que tenho visto, a Mozilla quer a todo o custo mostrar que o seu navegador é o mais credível e seguro de todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas essa é a justificação que a Apple dá para fazer o que faz, e vê como são as coisas: no iOS nem sequer podes ter um browser alternativo, só meter um interface a disfarçar que por baixo se mantém o Safari do sistema.

      Eliminar
    2. É verdade. Visto desse prisma, isto parece mesmo ser uma iniciativa "à lá Apple"...

      Uma coisa é certa: a atualização não deveria ter sido feita sem um CLARO aviso prévio de que as extensões iriam deixar de funcional (excetuando essas 9).

      Eliminar
    3. Bastava algo ao estilo do que a Google faz no Android: opção para permitir que os utilizadores instalem extensões não verificadas, por sua conta e risco. Assim já ficavam todos contentes.

      Eliminar
  2. cheguei a bom tempo de ver esta noticia e que ja nem vou actualizar esperando que voltem atras, ha muitas mais extensoes de privacidade de que nao prescindo behave por exemplo para nao citar todas

    ResponderEliminar

[pub]