2020/09/10

IFTTT lança modalidade Pro com subscrição


O popular e versátil serviço IFTTT avança para um serviço Pro com subscrição, acompanhado pela limitação das contas gratuitas.

O serviço IFTTT permite automatizar todo o tipo de tarefas, quer entre serviços puramente digitais como também fazendo automações que interagem com o mundo real, através de smart devices (como ligar luzes ao por do sol, ou quando recebem um email importante). Mas é mais um serviço que agora começa a dar prioridade aos lucros, e por isso avança com uma modalidade de subscrição IFTTT Pro - que infelizmente é acompanhada pela limitação daquilo que se pode fazer com a versão gratuita do serviço.

O IFTTT Pro arranca com um chamariz apelativo, de deixar que cada utilizador escolha o preço apagar, nem que seja apenas $1 por mês, mas é algo que é apenas válido por um ano. Depois o preço passa a ser de $9.99/mês - que como benefícios tem coisas como: criação de applets mais complexos e com acções múltiplas, execução mais rápida e frequente dos applets, e acesso a applets ilimitados.

Este último ponto é particularmente importante, já que as contas gratuitas irão ficar limitadas à criação de um máximo de 3 applets, o que seguramente irá revelar-se bastante desagradável para os utilizadores que dependessem deste serviço (eu, que não faço uso intensivo do serviço, tenho 8 applets criados).


Ainda recentemente falávamos da volatilidade dos serviços na cloud e o risco da dependência neles, e o IFTTT passa a ser mais um desses casos. Se fosse uma mensalidade de $1 ou $2 permanente, até poderia equacionar subscrever, nem que fosse como forma de apoiar um serviço que sempre promovi e usei desde o início. Mas $10 por mês é um valor excessivo para o uso que lhe dou e apoio que estaria disposto a dar. Em resultado, em vez de lhe ir dando algum uso, vou é deixar de o utilizar. É que se por agora ainda vai deixar criar 3 applets nas contas gratuitas, nada nos garante que daqui por uns meses aperte ainda mais as restrições para tentar obrigar os utilizadores a mudarem para o plano pago.

Ter em conta que o serviço já ganhava dinheiro, cobrando pelo acesso à API aos serviços que lá desejavam estar. Com esta transferência da cobrança para os utilizadores finais, parece-me que o IFTTT se arrisca mais a afastar utilizadores (e consequentemente tornando-se de menor interesse para as empresas que pagam para lá estar) do que a atrair clientes pagos.

Actualização: Depois de ouvir o feedback dos utilizadores, o IFTTT vai manter o preço que cada um decidir pagar para sempre, em vez de ser apenas por um ano.

3 comentários:

  1. Uso bastante este serviço e não me choca ter de pagar para o usar, porque é de facto excelente. No entanto o valor que vão pedir mais à frente é exagerado e antevejo muitos problemas para a maioria dos utilizadores o continuar a usar.
    No meu caso vou continuar a usar durante este período de transição, mas vou procurar outra solução.
    De referir que o IFTTT já cobrava pelo acesso à API... (É mais um serviço que num futuro não muito longínquo irá acabar)

    ResponderEliminar
  2. Há que tempos que me perguntava como é que semelhante serviço poderia ser gratuito.

    ResponderEliminar
  3. Já eu, perante a decisão, vou deixar de usar.

    ResponderEliminar

[pub]