2020/11/10

UE quer acabar com encriptação end-to-end

A UE está a avançar com uma terrível proposta que visa tornar obrigatória a implementação de backdoors nas comunicações encriptadas, inviabilizando a encriptação end-to-end.

Embora por agora seja uma proposta que ainda terá que passar por inúmeras etapas, não deixa de ser assustador ver que por cá na Europa também se está a tentar criar o mesmo clima de insegurança e a apontar o dedo à encriptação como tem acontecido noutros países.

Já foi mais que demonstrado, repetidamente e até à exaustão, que a única forma de garantir segurança nas comunicações digitais é através da encriptação end-to-end, em que apenas o remetente e o destinatário têm acesso ao conteúdo - e onde nem mesmo os operadores de internet por onde a mensagem passa, ou os fornecedores do próprio serviço de comunicação, conseguem ter acesso às mesmas. Algo que até fez com que a Comissão Europeia recomendasse o uso da app Signal, como forma de garantir essa mesma segurança.

Por isso, é bastante estranho que agora se esteja a assistir a uma reviravolta de 180º e a pretender que todos estes sistemas de encriptação end-to-end disponibilizem backdoors que permitam às autoridades aceder a essas comunicações.

Como sempre, a justificação é a "segurança"; ignorando por completo que qualquer indivíduo ou entidade que deseje manter as suas comunicações secretas, limitar-se-á a utilizar outros serviços ou métodos que garantam essa encriptação end-to-end, fazendo com que o efeito prático seja apenas o de fazer com que os cidadãos europeus fiquem expostos à possibilidade de vigilância em massa sem opção de privacidade; e que seja apenas uma questão de tempo até que alguma entidade maliciosa consiga aceder a essas backdoors e demonstrar que não existem vulnerabilidades deliberadas que sejam de uso exclusivo para "boas intenções".

7 comentários:

  1. Ou é reviravolta, ou é volta de 180º. Reviravolta de 180º é 360º.

    ResponderEliminar
  2. Isto não pode ser verídico... :(

    ResponderEliminar
  3. Até fui ver ser era 1 de Abril... Isto agora de se propor políticas sem antes verificar com especialistas se faz sentido é a nova moda da politica/populismo?

    ResponderEliminar
  4. Estes empregados (políticos) querem poder espiar-nos? Mas que pouca vergonha é esta? Como se despede esta gente? Não quer gente desta a trabalhar para mim.

    Pelo menos percebe-se a decadência da Europa também nestas grandes coisas, em breve (vai demorar alguns anos ainda) a Europa será militarmente invadida (talvez pelos muçulmanos radicais apoiados pela China, ou pela Rússia), e realmente com a podridão que reina, de outra maneira isto não voltaria ao rumo correcto de qualquer outra maneira, infelizmente as pessoas terão de morrer em larga escala para só ficarem aqueles que se esforçam no sentido verdadeiramente correcto. Assim o quer Deus, e assim será.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ena... Estive quase para considerar esse comentário como tontice pegada até que chegou ao ponto em que diz que "assim o quer deus e assim será"...

      Ok, pronto, sendo assim, já não é tontice...

      Ora bolas para o senhor deus que quer semelhante coisa para a Europa.

      Eliminar
    2. A forma como se materializa a Vontade de Deus poderá até ser diferente da descrita, porque em teoria as pessoas podem não se matar (a realidade demonstra que essa será também uma das formas), porque a natureza tem toda uma "infinidade" de coisas que pode fazer para acabar com a vida das pessoas (vírus, bactérias, queda de meteorito, vulcões, terramotos, tsunamis, secas, enchentes, furacões, animais (tipo gafanhotos) a comer as culturas, etc.) no limite se as pessoas não se matassem umas às outras a natureza teria muitas maneiras de o fazer por elas, e o fará, mas como as coisas parecem evoluir os seres humanos vão dar uma "mãozinha" a si mesmos para se expulsarem daqui para fora... o que até é justo já que mais da metade não deveria ter sequer nascido em primeiro lugar, logo é justo que voltem para o lugar de onde não deveriam ter sido se a maldade humana aqui na Terra não tivesse como que descido uma rampa até esses locais escuros que permitisse essa gente subir antes de estarem maduros para tal.

      A Europa deverá ser a primeira atingida em larga escala pelo dito ataque militar, mas o resto do mundo se seguirá algum tempo depois, não pense que é coisa restrita à Europa. Deverá haver um país ou outro que não será afectado directamente pela guerra, mas serão excepções e de modo algum será um paraíso viver neles, porque a natureza também estará a actuar nesses países para que toda a gente que não presta ao ponto de ser considerada irrecuperável ser expulsa na mesma. Não haverá escapatória para onde quer que se virem... ou se esforçam para serem verdadeiramente correctos interior e exteriormente ou vão mesmo de vela.

      Eliminar

[pub]