2021/03/26

Amazon apanhada a mentir em caso xixi-gate

A Amazon volta a ficar numa posição incómoda, devido às condições de trabalho que fazem com que alguns dos seus funcionários até tenham que urinar em garrafas ou defecar em sacos, para evitarem ser despedidos.

A Amazon perdeu uma excelente oportunidade para ficar calada e melhorar as condições de trabalho dos seus funcionários. Em resposta às acusações dessas más condições, a Amazon teve a infeliz ideia de responder a um tweet de um político norte-americano, dizendo: "Não acredita mesmo nessa coisa de urinar nas garrafas pois não? Se isso fosse verdade ninguém trabalhava para nós." Seguindo com um "A verdade é que temos mais de um milhão de empregados orgulhosos com o que fazem, com grandes ordenados e cuidados de saúde desde o primeiro dia."
Uma resposta que não caiu bem com esses "orgulhosos empregados", que depressa começaram a enviar fotos das garrafas e sacos para diversos sites, para demonstrar que, ao contrário do que a Amazon estava a querer fazer parecer, eram mesmo realidade e prática comum. E o pior ainda estava para vir.

Já vieram a público documentos e emails da própria Amazon que reconhecem a existência dos casos das garrafas e sacos, e que os mesmos até têm vindo a aumentar. Algo que demonstra desde logo que a Amazon estava a mentir deliberadamente quanto enviou aquele tweet.
O caso afecta principalmente os trabalhadores que fazem o serviço de entregas, e que têm que cumprir com o volume de entregas definido sob pena de serem penalizados ou despedidos; volume que para poder ser entregue, nem lhes dá tempo para que possam parar para se "aliviarem" (e que, ao contrário do que por cá acontece em muitos casos, não pode ser acelerado com a táctica do "não estava em casa" sem sequer lá terem passado; pois a Amazon controla as viagens com GPS e até com câmaras no interior das carrinhas).

Por muito que se goste de receber as coisas de um dia para o outro, é também importante reconhecer o trabalho feito por toda a cadeia logística de transportes e correios, e onde a pessoa que muitas vezes está na recta final das entregas acabar por ser o alvo das frustrações dos consumidores. Apesar de ser inaceitável marcar uma encomenda como "entregue" ou "sem resposta" sem ter passado no destinatário, há que reconhecer que o verdadeiro problema vem de cima, e que se deveria ser solidário com a necessidade de serem dadas melhores condições de trabalho. Se se chega ao ponto de alguém não poder ter um desconto de 10 ou 20 minutos ao longo do dia para poder fazer "as suas coisas", e ainda por cima ter a empresa a mentir quanto ao efeito que isso acaba por ter, apesar de internamente saber que o que isso causa; então é sinal mais que evidente que têm que ser feitas alterações.

9 comentários:

  1. Mau, muito mau!!
    Mas depois, o Bezos é um herói...

    ResponderEliminar
  2. Mas depois temos pessoas que são contra os novos modelos de negócios que os políticos vivam no passado etc. É ao contrário, estes "novos" modelos são é muito velhos e um verdadeiro retrocesso civilizacional.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queria dizer que são contra quem critica este "novos" modelos

      Eliminar
  3. Que ninguém se engane.

    Se a humanidade não abrir os olhos a tempo, estaremos definitivamente a caminhar para dias em que meia dúzia de supostos "iluminados" conseguirão decidir com a ponta dos dedos, os rumos de mais de 95% da restante população mundial.

    A entrega de poder é tal que não dou nem uma geração e meia para que os nossos filhos e netos verifiquem que fomos fracos a observar e concluir aquilo que temos ajudado a 'construir'...

    Continuemos a 'louvar', 'adorar' e 'endeusar' todos os Musks, os Ronaldos, os Mourinhos, os Bezos e outros que tais e verificaremos no buraco em que estaremos metidos.

    ResponderEliminar
  4. Vítor Madeira, concordo em absoluto consigo. Faço porém um reparo, se me permite, e que é o facto de, em minha opinião, o Ronaldo e o Mourinho serem neste contexto meros bobos da corte. Fazem parte de uma indústria preversa que domina algumas sociedades, como a nossa, mas eles, individualmente, são meros peões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não discordo nem um pouco do que acrescentou, mas a partir do momento em que recebem o seu primeiro milhão pelo "mérito" de colocarem bolas dentro de balizas, passam a ter a devida responsabilidade no meio de uma sociedade carregada de problemas que, mais do que obviamente, não serão resolvidos com chutes em bolas.

      Bobos até um certo e determinado ponto. Depois e daí em diante, são tão ou mais coniventes com a desgraça comum do que os que lhes mandam chutar a bola.

      Eliminar
  5. Ainda pode haver esperança quando recebo no estado de tracking de uma encomenda (não foi amazon) o seguinte: "Em redistribuição. não foi possivel entregar o seu envio devido a uma incidencia logistica na nossa distribuição. já tomadas as ações necessárias e será entregue na data prevista" ... ou seja, não utilizaram a técnica que o Carlos referiu (e da qual já fui vítima algumas vezes no passado) e assumiram o atraso na entrega do lado deles!!!

    ResponderEliminar
  6. Por cá acontece QUASE a mesma coisa nos Continentes e em fábricas do Norte.

    ResponderEliminar

[pub]