2021/12/10

Apple processada por separação do ecrã no Apple Watch

A Apple esta a enfrentar um processo curioso devido ao Apple Watch quando a sua bateria incha e faz separar o ecrã.

O problema das baterias inchadas não é exclusivo dos Apple Watch (infelizmente, ao longo dos anos, já fui tendo vários casos de smartphones "inchados" - com particular incidência nalguns que ficavam continuamente ligado ao carregador) mas, quando acontece num smartwatch, o caso torna-se ainda mais flagrante. Nos Apple Watch, não é incomum os utilizadores depararem-se com um ecrã que se começa a separar do corpo do relógio, e é precisamente por isso que um grupo de clientes está a processar a Apple.

Os clientes não disputam que a bateria possa inchar, mas acusam a Apple de não ter dado algum espaço adicional que esse processo não fizesse o ecrã do Apple Watch separar-se quase de imediato - podendo ferir os utilizadores (um dos queixosos fez um corte no braço devido ao ecrã levantado).
Infelizmente, é uma daquelas coisas para as quais nada se pode fazer. A Apple (ou qualquer outro fabricante) não vai despediçar um décimo de milímetro que seja na espessura de um smartwatch, para contemplar a eventualidade de uma situação anómala que, de qualquer forma, obrigaria o utilizador a substituir a bateria de qualquer forma.

O que precisámos é de baterias de estado sólido que eliminem os riscos das baterias actuais, mas isso é daquelas coisas que vão sendo prometidas, ano após ano, mas que tardam em chegar ao mercado.

6 comentários:

  1. Erro de principiante.. todas as baterias de lítio quando envelhecem começam a inchar, ou há espaço ou fica tudo muito apertado e pode saltar uma tampa.. se calhar o que eles não esperavam era que as pessoas usassem o relógio por mais de 2 anos.. metam baterias amovíveis com tampas traseiras fáceis de abrir que dá mais valor ao aparelho (permite separar o time-bomb normal de uma bateria de lítio)

    ResponderEliminar
  2. Resumindo:
    - Em 2019 houve uma queixa (de uma pessoa) em tribunal, não lhe foi dada razão
    - Em 2021 há uma queixa (de quatro pessoas) em tribunal.
    Só em 2020 foram vendidos 34 milhões de Apple Watch.
    Qual é o assunto mesmo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se em 2022 houver uma queixa tua de que um explodiu e explodiu-te a tua mão e ficaste sem ela.... qual é o assunto mesmo? Aí já há assunto? ;-)

      Eliminar
    2. O post diz que as baterias podem inchar (ao todo, 5 em 120 milhões) não diz que têm C-4
      E manetas zero. Mas se é esse o assunto, ... está bem ;-)

      Eliminar
    3. Enviesado, não precisa ter C-4, basta inchar e aquecer imenso enquanto está no teu pulso; eu já tive um Nokia que teve esse problema na minha mão e se estivesse no pulso, o tempo entre aquecer e conseguir tirar seria o suficiente para ter uma grande queimadura. E se a bateria entrar em curto circuito por algum motivo, pode mesmo incendiar-se.

      Eliminar
  3. Havia uma série de portáteis da Asus em que a bateria inchava e começava a empurrar o touchpad, havia uns que chegavam a ficar com aquilo tudo empenado por causa da bateria.

    ResponderEliminar

[pub]