2022/04/04

Lotus Eletre deverá pesar menos de 2000 Kg

O novo Hyper-SUV Lotus Eletre deverá ser um dos mais leves carros eléctricos do seu segmento, mantendo a tradição da marca.

A Lotus apresentou recentemente o seu futuro Eletre, que marcará a sua expansão para outro segmento que o dos desportivos puros, apesar de manter um aspecto e características que não envergonharão quem procura um carro cujo design já faz sonhar com as suas capacidades. Com sistema de 800 V e potência "mínima" de 600 cv, a Lotus promete autonomias de 600 km, e carregamento suficiente para 400 km em 20 minutos usando um carregador de 350 kW. Isto com acelerações dos 0-100 km/h em menos de 3 segundos e velocidade máxima que será limitada a 260 km/h (seguramente não fará 600 km a essa velocidade).

O carro também traz tecnologias como o LIDAR, cujas capacidades poderão ir sendo melhoradas via actualizações remotas (como os Tesla e outros), mas sem prometer capacidade autónoma por agora. Mas aquela que poderá ser uma das suas melhores características mantém-se em segredo: o seu peso.

O peso é um dos principais inimigos da eficiência num automóvel, fazendo aumentar os consumos e prejudicando o desempenho. Algo que a Lotus sabe desde há muito, tendo-se focado em fazer carros o mais leve possíveis; e que agora pode resultar que este Lotus Eletre se fique por um peso abaixo dos 2000 kg.
Para referência, um Tesla Model X pesa entre 2300 e 2500 kg, fazendo com que o Eletre se fique por um peso equivalente ao de um Tesla Model Y LR (que pesa 1980 kg).

Mas, primeiro será preciso aguardar pela confirmação oficial do seu peso; sendo que as entregas só deverão começar no próximo ano.



4 comentários:

  1. "...seguramente não fará 600 km a essa velocidade..." e a gasolina seria diferente?
    Quando se fiz que um carro a gasolina faz 600Km, é à velocidade máxima?
    Deixem de fazer este tipo de comentário da treta às autonomias, os construtores automóveis que ainda hoje constroem a gasolina/gasóleo são Walking Dead, literalmente estão mortos e simplesmente não sabem. Carros a combustão "morreram", felizmente, e já vão tarde.
    E tomem nota de construtores chineses, com produtos de alta qualidade, vão chegar rapidamente nos próximos 2 anos. Deixo 2, BYD e SAIC, entre outros

    ResponderEliminar
  2. Penso que era muito interessante ter um eletrico com baterias modulares, com cada modulo a pesar por volta dos 10Kg para se poder meter ou tirar à mão.
    Comprava-se o carro com por ex 10 modulos com autonomia para 200km e custava menos e pesava menos, caso fosse preciso fazer uma viagem maior, ou ter mais potencia, podia-se meter mais modulos (alugados ou emprestados) ou até trocar modulos a meio da viagem por outros carregados.

    ResponderEliminar
  3. Os carros baseados em baterias de lítio talvez possam não ser a solução para o problema.

    https://www.youtube.com/watch?v=9dnN82DsQ2k

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas uma parte do problema é que as pessoas querem comprar um carro que tenha autonomia para todas as viagens que possam ter de fazer, mesmo que 99% das vezes só precisem de percorrer 20km/dia vão querer uma bateria que faça os 350km para irem de férias 1vez/ano.. e 99% das viagens vão andar a carregar 400Kg de peso adicional (maior desgaste de pneus e suspensão), e o custo do carro é muito maior.
      Eu acho que é uma situação desadequada às necessidades que precisava de uma revisão, pois a transição dos motores de combustão para veículos eletricos devia passar por alguns processos de repensar a forma como sempre se fizeram algumas coisas.

      Eliminar

[pub]