2022/04/03

Samsung facilita reparações em parceria com iFixit

A Samsung junta-se ao grupo de fabricantes que promete facilitar as reparações self-service, em parceria com o iFixit.

Há muito que o iFixit se tornou no site de referência para quem se quer aventurar na reparação dos seus smartphones, com os seus preciosos guias de como desmontar e substituir peças - algo que se torna inevitável, com os ecrãs partidos por quedas, ou as baterias que perdem capacidade ao fim de alguns anos de uso. E agora, vão sendo cada vez mais as marcas que, em vez de dificultarem essas reparações, começam a facilitá-las.

É esse o caso da Samsung, que anunciou um programa de reparações self-service em parceria com o iFixit, em que se compromete a disponibilizar componentes originais para os seus dispositivos: por agora abrangendo modelos como os Galaxy S20, Galaxy S21 e Galaxy Tab S7 Plus (os mais recentes Galaxy S22 ficam de fora, por agora).

Estranhamente - ou não - o programa por agora refere apenas: ecrãs, vidros traseiros, e fichas de carregamento; não fazendo referência à disponibilização de baterias. Algo que poderá ser explicado pela dificuldade de remoção das baterias (coladas) nestes modelos, e cuja remoção se revela bastante trabalhosa e demorada. Esperemos que, com esta maior consciencialização da necessidade de facilitar as reparações, isso seja algo que venha a ser revisto nos próximos modelos.

3 comentários:

  1. Tarde, *muito* tarde!
    Mas pronto... É um início.

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que se durante este ano os fabricantes não mudarem alguma coisa no design dos seus smartphones para facilitar as reparações, quer dizer que estão só a fingir que se preocupam com este problema...
    Temos o bom exemplo do Fair Phone que tem um modelo que podia ser seguido pelas marcas maiores, e mesmo sem exemplo, basta recuar uns anos para ver todas as marcas com baterias substituíveis pelo utilizador, basta pegarem nos planos dos seus antigos smartphones e repensar o que seria preciso para ter um equipamento atual com essas funcionalidades.

    ResponderEliminar
  3. Se inventaram écrans de dobrar não conseguem reinventar uma bateria substituível?
    Só mostra que querem seguir o caminho que torna os equipamentos menos duráveis e impossíveis de reparar.

    ResponderEliminar

[pub]