2022/08/10

Análise à Xiaomi Smart Band 7


A Xiaomi Smart Band, agora na sétima versão, pode muito bem ser considerada o equivalente ao Moto G das smart band, com a vantagem de a marca chinesa continuar a garantir o sucesso deste seu produto, algo que a Motorola não conseguiu manter por mais de dois anos.

Unboxing 



Na traseira da caixa, algumas informações técnicas, com destaque para a compatibilidade com equipamentos Android e iOS, com a Xiaomi a não se limitar a utilização aos seus próprios smartphones e tablets.


Dentro da caixa, um invólucro de cartão, com a pulseira numa das extremidades. 


Em termos de acessórios, apenas a documentação de referência e o cabo USB para carregamento da smart band.

Para facilitar a vida a todos os que dispensam a leitura do manual, o saco que protege a smart band apresenta um grafismo que exemplifica a forma como deve ser instalado o cabo para o carregamento.


O pequeno bloco com dois pinos metálicos terá de ser encostado à smart band, com a força do magnetismo a facilitar este processo. Do lado oposto, uma ficha USB tipo A, para ligar a um carregador ou computador.  


Os dois pontos metálicos na traseira do bloco da smart band facilitam este processo de instalação do cabo de carregamento.

A Xiaomi Smart Band 7


A Xiaomi procura melhorar a smart band a cada novo lançamento, tendo sempre o cuidado de não alterar a filosofia original do produto: um bloco com a band e uma bracelete flexível para instalação deste.


O processo de remoção/instalação do bloco mantém-se, bastando pressionar o bloco para o remover da bracelete. A guia na lateral do bloco, garante que este se mantém no lugar.


Igualmente sem novidades, o sistema de aperto, com vários furos e um pino para inserir na posição que melhor se ajustar ao pulso do utilizador. Um anel na extremidade da bracelete, garante que esta segue a linha do pulso, não ficando solta, com aberturas que facilmente poderiam prender a ponta de um objecto, fazendo saltar a smart band do pulso.


Especificações técnicas

  • Peso - 13,5 g sem pulseira
  • Ecrã
    • AMOLED 1,62"
    • Resolução 192 x 490
    • Pontos por polegada 326
    • Profundidade de cor 16 bits
    • Brilho do ecrã até 500 nit
  • Memória RAM - 8MB
  • Armazenamento - 128MB Nand
  • Resistente à água 5 ATM
  • Conectividade sem fios BT5.2 BLE
  • Sensores
    • Acelerómetro de 3 eixos
    • giroscópio de 3 eixos
    • Sensor de frequência cardíaca PPG
  • Bateria LiPo 180mAh
  • Autonomia (Estimativa) Até 14 dias
  • Requisitos de sistema Android 6.0 | iOS 10 

Em utilização


Carregada a smart band, haverá que instalar a aplicação que faz a gestão do equipamento. Um código QRCODE facilita este processo. De referir que a aplicação Mi Fit foi descontinuada, passando a chamar-se Zepp Life. No seu lugar, a Xiaomi disponibiliza a aplicação Mi Fitness, sendo esta a que a marca recomenda para acompanhar a gestão e utilização da Smart Band 7.

Não há novidades em termos de controlo, com os gestos a manterem-se inalterados. Um deslizar para baixo mostra as notificações, para cima as aplicações. Lateralmente, os "widgets", com o utilizador a poder acrescentar/remover opções na aplicação Mi Fit. A ordem das aplicações também poderá ser alterada nesta mesma aplicação, que serve a totalidade das configurações.

As notificações podem espelhar o telefone, ou serem limitadas às aplicações que o utilizador desejar. O controlo das mesmas é feito de forma independente, tendo o utilizador de as dispensar no telefone e na smart band, podendo nesta última fazê-lo em massa, não tendo que ir uma a uma. 


A pressão prolongada do ecrã principal, permite a escolha do tema a apresentar, com a Xiaomi a incluir uma curta selecção de opções, com a maioria a potenciar as funcionalidades que a Smart Band 7 disponibiliza. Através da aplicação Mi Fit, terão acesso a inúmeras opções, para quase todos os gostos e feitios, pelo que será uma questão de explorarem "skins" disponíveis online.




No que diz respeito a aplicações, além das já tradicionais opções para controlo do exercício físico, mapas de desempenho, meteorologia, batimento cardíaco e nível de oxigénio no sangue (SpO2) de forma contínua, controlo do sono, controlo da reprodução multimédia e alarmes.


Através da aplicação, poderão definir quais as aplicações a serem apresentadas na smart band.



Informação da actvidade realizada


Registos na aplicação Mi Fitness

Passa igualmente a contar com uma análise de treino (VO2 max), que mede a quantidade máxima de oxigénio que os utilizadores podem utilizar durante o exercício e três modos adicionais - carga de treino, duração de recuperação e efeito treino –  que possibilitam a avaliação do treino, ajuste de horário e intensidade, com esta informação a poder ser disponibilizada num widget. O registo da actividade física pode ser feito sem o smartphone, sendo que neste caso não irão ser recolhidos dados GPS, o que acaba por ter impacto na precisão dos registos. Nestes casos, a smart band apresenta desvios face à distancia percorrida (800m em 5Km), dando origem a registos de desempenho (velocidade) inferiores aos reais. Para um treino regular, o smartphone terá assim de acompanhar o utilizador. 

Se saírem para o exterior, deverão de antemão corrigir o nível de brilho do ecrã, visto a smart band não contar (ainda?) com um sensor de luminosidade, sendo este um dos pontos em que a marca poderá apostar para elevar ainda mais a qualidade do produto. Neste campo das melhorias, a manutenção (edit: já acontece desde a versão 5) do sistema de carregamento de um modelo para o seguinte, seria interessante, tal como a disponibilização de um sistema de carregamento sem fios. 


O ecrã AMOLED passa agora a contar com um modo “sempre ligado”. A informação apresentada é diminuta, tendo esta funcionalidade um elevado impacto no consumo de bateria, reduzindo a autonomia de uma semana, para 3 a 4 dias. Tendo em conta este aspecto menos positivo e a quantidade de informação apresentada, a utilização do modo "ecrã sempre ligado",  deverá ser bem ponderado pelo utilizador, até porque uma carga completa demora cerca de hora e meia a completar (95 minutos).

Apreciação final

A cada novo ano, a Xiaomi aposta na melhoria da sua smart band, apresentando um produto de excelente qualidade, a preço competitivo, argumentos que lhe vão garantindo a escolha dos consumidores.

A Smart Band 7 não é excepção, com a Xiaomi a apresentar um ecrã AMOLED com 1,62", o que representa um aumento de 25% de área de visualização, quando comparada com a geração anterior. A análise de treino (VO2 max), mais de 100 modos de desporto suportados e um conjunto de opções para registo e controlo da actividade física, elevam a qualidade do produto, com a Smart Band 7 a fazer corar de vergonha alguns equipamentos com preço bem superior, pelo que sai desta análise com um mui distinto "Escaldante". 

A Xiaomi Smart Band 7 está disponível no mercado nacional por um preço recomendado de 59,99€, sendo que é possível encontrar promoções com um preço inferior, por essa internet fora.


Xiaomi Smart Band 7
Escaldante



Prós
  • Funcionalidades disponibilizadas
  • Relação qualidade preço

Contras
  • Sem sensor de luminosidade
  • Gestão das notificações
  • Sistema de carregamento sempre a ser alterado.


Xiaomi Smart Band 7

Escaldante (5/5)

6 comentários:

  1. O sistema de carregamento parece-me o mesmo que a Xiaomi usa desde a versão 5 desta pulseira... o magnético de 2 pinos (e funciona extremamente bem... de certeza que esta versão não é compatível com a 5 e 6?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. So tenho a 1, a 2 a 3 e a 4. :) Vou verificar

      Eliminar
    2. Bem observado. Obrigado

      Eliminar
    3. Cá por casa passaram todas, da 1 à 6... ainda não me senti tentado a comprar a 7 porque: 1-Não vejo grandes melhorias face à 6; 2-O tamanho maior face à 6 começa a passar um pouco do limite do discreto; 3-O custo já não é o que era (nunca dei mais de 30eur por uma das anteriores - em algumas até menos de 20eur). No entanto continuo a achar uma muito boa compra para quem não tenha uma smartband e queira entrar neste mundo!

      Eliminar
  2. Tenho um Apple Watch 3 desde que saiu e ando tentado a experimentar esta pulseira.

    ResponderEliminar
  3. Já agora só mais uma observação... a App original "Mi Fit" foi atualizada para a "Zapp Life", pelo que será esta última a ser instalada (pelo menos nos Android, que é o que eu uso).
    As funcionalidades são exatamente as mesmas da Mi Fit, mas a App tem um layout diferente (mais moderno).

    ResponderEliminar

[pub]