2016/04/16

Satélites geoestacionários vão ter "mecânico" orbital


O maior problema com os satélites é que, mesmo que tenham um pequeno problema, não há ninguém que o possa ir resolver - mas isso poderá mudar em breve, graças a novos satélites robóticos que poderão realizar operações de manutenção noutros satélites.

A órbita geoestacionária é uma das mais concorridas e desejadas, sendo por isso mesmo uma das mais congestionadas e mais problemáticas. É que uma colisão entre satélites poderia originar uma nuvem de destroços com um enorme potencial destrutivo para todos os restantes satélites, e é por isso agora se preparam estes mecânicos robóticos que possam resolver problemas em órbita e minimizar os riscos de acidentes.

A tarefa não é simples, considerando que todos os satélites são diferentes, e que - ainda por cima - existe um desfasamento de cerca de 3 segundos, que complica bastante o processo de controlo manual a partir de um centro de comando em terra. Por isso mesmo, estes satélites do programa RSGS (Robotic Servicing of Geosynchronous Satellites) contarão com algum do mais potente hardware já enviado para o espaço (não esquecer que o hardware preparado para aguentar as condições no espaço está várias gerações atrasado em relação ao que usamos no nosso dia a dia) e software capaz de assistir o operador, tendo em conta este desfasamento.

Segundo os responsáveis pelo projecto, estes satélites robóticos poderão entrar em acção até ao final da década. O que faz com que, da próxima vez que um satélite não estiver a funcionar como previsto, será mesmo possível ir lá dar-lhe uma "pancadinha" para ver se vai ao sítio. :)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]