2017/04/21

Huawei P10 usa memórias com diferenças de desempenho de 10x


O Huawei P10 é um excelente smartphone - mesmo não tendo ecrã oleofóbico - mas agora vê-se envolvido em polémica quanto ao desempenho das memórias flash utilizadas e que resultam em diferenças substanciais entre lotes diferentes.

O desempenho da memória flash tem tido, cada vez mais, um peso fundamental para o bom desempenho global de um smartphone - ao estilo do que um disco SSD pode fazer num computador convencional - e nesse aspecto o P10 que analisamos obteve resultados espectaculares, com valores de leitura superiores a 727MB/s e escrita de 185MB/s.

O problema é que alguns utilizadores têm descoberto que os seus P10 obtêm resultados bem diferentes nos benchmarks, com valores que que se reduzem para metade, ou menos, e que se tornam ainda mais díspares no caso das leituras e escritas aleatórias. Na imagem seguinte podemos ver um P10 cuja velocidade de leitura e escrita sequencial se fica pelos 282MB/s e 97MB/s (face aos 727MB/s e 185MB/s), e nas leituras e escritas aleatórias se fica por 29MB/s e 14MB/s (face aos 172MB/s e 147MB/s obtidos por outro P10).


[à esquerda o "nosso" P10 - à direita "outro" P10]

São valores que parecem comprovar a suspeita de que a Huawei estará a utilizar uma ampla gama de memórias flash no P10, que vão das mais rápidas que usam UFS 2.1 (mais de 700MB/s), a outras que usam UFS 2.0, mas também memórias eMMC 5.1 que se ficam por valores abaixo dos 300MB/s. A resposta oficial da Huawei é a de que o desempenho global de um smartphone não pode ser reduzido apenas à velocidade da memória flash, e que a marca recorre a diversos fornecedores para os seus componentes, sendo que todos eles garantem um nível adequado à experiência de utilização que a Huawei estabelece para os seus equipamentos.

Ora, o recurso a diferentes fornecedores é algo perfeitamente natural, e é frequente que o mesmo modelo de um smartphone possa ter componentes diferentes (o recente Galaxy S8 tanto pode vir com uma câmara com sensor Samsung como com sensor Sony - e até nos iPhones tivemos o episódio do iPhone 6S com CPU feito pela TSMC ser melhor que o equipado com CPU fabricado da Samsung).

Neste caso, mesmo aceitando-se que no global o desempenho do smartphone continue a ser excelente, vão haver diferenças notórias em coisas como a instalação e actualização de apps, o carregamento de apps maiores (como jogos), sendo que nos casos das escritas aleatórias, estamos a falar de diferenças bastante significativas de 14MB/s para 140MB/s (10x).


Teria sido melhor opção se a Huawei definisse o patamar desejado para as memórias Flash e não permitisse que houvesse variações deste nível num mesmo equipamento; sob pena de gerar uma sensação de desconfiança entre os consumidores e manchar a boa reputação que tem vindo a conquistar nos últimos anos.


Actualização: afinal na questão da falta do tratamento oleofóbico do ecrã, as novas unidades já vêm com um novo tratamento aplicado. Sendo que na China a marca diz que os clientes poderão dirigir-se às lojas para aplicar esse tratamento nos P10 já vendidos.

1 comentário:

  1. Não é só as memórias flash, as rams algumas são ddr3 e outras ddr4.

    Acho tudo isto inadmissível para um topo de gama a preço topo de gama, é vender gato por lebre.

    ResponderEliminar

[pub]