2017/11/13

A evolução das baterias nos smartphones desde o ano 2000


A bateria nos smartphones é daquelas coisas que nunca satisfaz, mas a verdade é que a evolução ao longo das últimas duas décadas tem sido significativa... mesmo podendo não estar ao nível do que seria desejado.

O site GSM Arena fez uma viagem pelo tempo para avaliar a capacidade média das baterias dos 50 smartphones mais populares para cada ano, face ao seu volume, desde o ano 2000 até ao actual ano de 2017. O resultado é um esclarecedor gráfico que demonstra o quanto a densidade energética enfiada nos nossos smartphones tem aumentado.



Um smartphone de 2017 tem cerca de sete vezes mais densidade de energia do que um telemóvel do início do milénio. Esses modelos ficavam-se por densidades de apenas 5mAh/cm3 - lembram-se certamente, de quando tinhamos telemóveis "grandes" e a bateria era um pequeno bloco que lá se encaixava algures - enquanto que actualmente, os mais modernos smartphones são praticamente todos uma "bateria", com pequenos circuitos em redor, atingindo valores de 35mAh/cm3... e com uma tendência sempre crescente.

Por isso, as coisas parecem bem encaminhadas, de uma forma geral... e não apenas para quem estiver a considerar a compra de um modelo como o Oukitel K10000 Pro para deixar de se preocupar com a autonomia... :)

1 comentário:

  1. É ainda mais importante a eficiência energética que os CPUs têm revelado , esperemos que esta tendência continue com os processos de fabrico de 7 e 4 manómetros que só por si irão dar muito mais tempo de bateria aos nossos actuais smartphones.

    Quanto as baterias também acho que irão surgir novos tipos de baterias a investigação é muito forte e as pressões são também muitas e são transversais a diversas industrias nomeadamente a automóvel

    ResponderEliminar

[pub]