2017/11/08

Como o Facebook sugere os "amigos" desconhecidos


Hoje em dia as pessoas já consideram "normal" que os sites que visitam lhes apresentem publicidade de coisas que tenham pesquisado recentemente na internet (por vezes parecendo que adivinham aquilo em que pensamos)... mas no caso das sugestões de amigos feitos pelo Facebook isso torna-se ainda mais misterioso.

Para além de continuamente nos tentar extorquir dinheiro para promover artigos, o Facebook tem uma especial apetência para fazer com que os utilizadores usem, e continuem a usar a sua plataforma, o mais possível. Parte disso passa por garantir que as pessoas têm amigos com quem interagir - e para o promover, temos sugestões regulares e insistentes de "pessoas que poderemos conhecer" que o Facebook nos apresenta.

Essas sugestões por vezes dão origem a histórias caricatas, quando sugere juntar pessoas que apenas se cruzaram momentaneamente e com as quais não tinha havido nenhum contacto real (por artes quase mágicas!) ou então pessoas que já não se viam há décadas, mas que o Facebook determinou que poderiam ser conhecidas... Um sistema que pode ser bastante útil, mas é simultaneamente bastante perturbador. Mas afinal, como é que o Facebook faz estas sugestões de amigos?

O algoritmo é um segredo bem guardado que o Facebook não revela, mas que tem em conta inúmeros factores, incluindo a localização dos utilizadores e toda a sua rede de contactos. E é precisamente esta última que se torna num ponto bastante discutível... pois pode dar ao Facebook informação que os próprios utilizadores não queriam revelar, por conta dos seus amigos.

À semelhança do que fazem os serviços de identificação de chamadas, o Facebook pede aos utilizadores que partilhem a sua lista de contactos com o serviço para "encontrarem os seus amigos". O que isto significa é que, mesmo que não tenham dado o vosso telefone ao Facebook, o mais certo é que esse dado já lá esteja - bastando que qualquer uma das dezenas (ou centenas de pessoas) que têm o vosso número, tenha respondido "sim" a esse pedido do Facebook.

Não menos caricato é que o Facebook se recusa sequer a dizer se tem esses dados sobre vocês, por considerar que isso seria uma invasão de privacidade para com a pessoa que originalmente partilhou o vosso número!

... Com toda essa rede de informação, já passa a ser mais compreensível algumas das sugestões de amizades feitas; pois bastará que haja um número razoável de partilhas coincidentes entre diferentes utilizadores, para ele inferir que também vocês poderão estar relacionados com o mesmo grupo... quer queiram quer não.

2 comentários:

  1. Para além de troca de mensagens noutras plataformas - Whatsapp... Aí, sugere logo amizade.

    ResponderEliminar

[pub]