2018/01/03

Protesto em loja de operador na Austrália acaba com polícia a ajudar o queixoso


Contrastando com a forma como algumas forças policiais lidam com os cidadãos, na Austrália ainda há quem tenha a sorte de lidar com agentes que demonstram ter uma dose generosa de bom senso.

Matt Dooley é um cliente do operador Tesltra na Austrália ou, pelo menos, esperava sê-lo. O problema é que o processo de instalação em sua casa terá sido mal feito (deixaram a ligação por cabo, mas não o modem e router) deixando-o sem acesso à internet, numa situação que se ia arrastando há meses, com centenas de chamadas telefónicas, sem que o problema fosse resolvido. Algo que já seria "chato" para uma qualquer pessoa, mas que se tornava ainda mais crítico para alguém que trabalha a partir de casa e necessitava urgentemente dessa ligação à internet.

Ao fim de quatro meses, e em total desespero, Matt Dooley decidiu demonstrar o seu descontentamento de forma mais visível, deslocando-se até uma loja da Tesltra e recusando-se a sair até que o problema fosse resolvido. Ele próprio até pedia que simplesmente lhe fornecessem o material em falta, que ele trataria da instalaçã. Mas, os funcionários da loja, em vez de resolverem o problema, optaram por chamar a polícia... e foi aí que as coisas tomaram um rumo inesperado.

Em vez da polícia tratar o homem como um "terrorista" e arrastá-lo para fora da loja - como seria o que muitas pessoas estariam a imaginar como desfecho deste episódio - os agentes procuraram inteirar-se do que se estava a passar... e acabaram por achar que este cliente descontente até tinha razão! A partir daí, foram os polícias que serviram de intermediários nas "negociações" tentando resolver o problema, até que finalmente lá chegaram a um compromisso que permitiu ao cliente abandonar a loja e ficar com uma ligação semi-funcional, embora ainda não esteja a ter o serviço pretendido.

Com situações assim, apenas se pode chegar a duas conclusões: que ainda bem que há polícias que demonstram estar à altura da sua função; e que, infelizmente, a maioria dos operadores de telecomunicações continuam a dar-nos motivos para que sejam tratados como um "mal necessário" em vez de empresas sérias que tenham um mínimo de respeito pelos clientes.

5 comentários:

  1. Totalmente de acordo, acho que talvez tenha sido cortesia da polícia, e talvez até tenham excedido as suas funções. Mas de facto este é comportamento necessário que as forças da autoridade deviam ser preparadas para ter

    ResponderEliminar
  2. Concordo , mas o cidadão português, por vezes ainda trata mal o policia.....em vez de o ouvir e de deixar ajudar...são culturas diferentes...

    ResponderEliminar
  3. Concordo , mas o cidadão português, por vezes ainda trata mal o policia.....em vez de o ouvir e de deixar ajudar...são culturas diferentes...

    ResponderEliminar
  4. Como é que é possível fazerem a ligação mas não deixarem o hardware para poder realmente ter internet em casa? E esta situação prolongar-se durante meses a fio? Muitas vezes pensamos nós no mau serviço que os nossos ISPs por cá prestam, quando noutros países ditos mais avançados é muito pior! Inaceitável!

    ResponderEliminar
  5. Bem o pessoal nos comentários fartam-se de dizer mal da iniciativa governamental para levar a Internet de banda larga a todos na Austrália... aquilo parece mais ser a anedota dos Internautas... gastam-se tipo 40 mil milhões de dólares australianos, mas parece que falam nos comentários que aquilo deve ascender aos 90 mil milhões de dólares australianos e sabe-se lá quando estará completo... que começou em 2009 e ainda não está em todo o lado. Pelos vistos lá ainda querem completar, que aqui em Portugal a Portugal Telecom nos tempos em que tinha dinheiro tinha essa ideia de mudar tudo para fibra, mas o dinheirinho acabou e foi-se esse plano pelo esgoto abaixo.

    ResponderEliminar

[pub]