2010/02/11

Noticias do Dia

Um NEC que ficaria bem na minha sala, o Twitter vira-se para os torrents, memórias flashs mais pequenas que poderemos ver no mercado daqui por dois anos, e o Meo@PC que vai chegar aos computadores de 100 "pioneiros."


Twitter adere aos Torrents

O Twitter, serviço regularmente afectado por interrupções devido ao enorme volume de tráfego e de utilizadores, vai passar a utilizar o eficiente (mas muitas vezes "mal-visto") protocolo BitTorrent para transferir dados entre os seus diversos servidores.


SSDs de 1TB para 2012?

Novos avanços na criação de memórias flash compactas podem permitir a criação de discos SSD de maior capacidade (e desempenho) com um tamanho ainda mais reduzido.
Esta técnica consiste em colocar chips de memória sobrepostos uns nos outros (até 128 "andares") e usar um sistema de comunicação magnético de curta distância para evitar as tradicionais complicações a nível das ligações eléctricas dos barramentos, e reduzir os custos. 

Esperemos é que sejam tão resistentes como este cartão de memória que sobreviveu mais de um ano mergulhado no oceano Atlântico, e donde foram retiradas as fotos digitais intactas.


NEC P701 de 70"
Mais um televisor que poderei considerar (daqui por uns anos, quando tiver o seu preço reduzido para 25%) este NEC P701 de 70" com resolução FullHD. Por agora, é apenas uma miragem, com o seu preço de quase $11,800 USD.


Meo no Computador

Mais um pequeno passo no longo caminho que irá transformar a "TV" dos antigamente numa TV à medida de cada um. A MEO deu início a uma fase experimental do seu novo MEO@PC que permitirá aceder aos seus canais a partir de qualquer ligação internet com mais de 1Mbit.
As 100 vagas iniciais foram rapidamente esgotadas, e os restantes candidatos terão que aguardar pelo início da oferta comercial, que se espera ainda para este ano.

O sistema utiliza a tecnologia PlayReady da Microsoft, que adapta de forma contínua a codificação do vídeo à largura de banda disponível. (E que, como seria de esperar, vem com DRM para impossibilitar que os utilizadores possam fazer coisas como as que faziam há décadas atrás com as cassetes de vídeo: gravando um programa para emprestar a um amigo, por exemplo.)

Pessoalmente, preferia ver a PT a investir em tecnologias baseadas em bittorrent, como a BBC e a própria união europeia têm apoiado e investigado, e que permitiram sustentar de forma muito mais "distribuída" a partilha de conteúdos de vídeo. Mas... eles é que sabem...

1 comentário:

  1. eh pah os SSDs tao a andar mais depressa do q eu pensava.
    e isso sao boas noticias

    ResponderEliminar

[pub]