2011/02/15

Pens USB Encriptadas da Kingston

Quando uma simples Pen USB não é suficiente para garantir a segurança dos dados, há que ir mais longe... e no caso da DataTraveler 4000 (DT4000) e da DataTraveler Vault Privacy Managed (DTVPM) a Kingston oferece às empresas uma maior segurança e controlo dos dados

DT4000: uma drive USB que dá às empresas encriptação de nível militar para áreas que requerem um nível elevado de protecção de dados como finanças, e serviços de saúde. A DT4000 tem certificação FIPS 140-2 Nível 2 para todo o módulo de criptografia (não só o processador, mas também os outros componentes da pen). No final do ano a DT4000 estará disponível como drive de gestão centralizada.

DTVPM: um gestor central para todas as drives USB da empresa. Graças ao software SafeConsole da BlockMaster, uma empresa conhecida por ter as soluções mais versáteis e completas do mercado, a DTVPM da Kingston oferece funções como controlo de passwords, gestão do estado do dispositivo, auditoria de ficheiros e restrição do tipo de ficheiros que podem ser guardados na pen.

No futuro, a Kingston irá incluir na sua gama de pens USB seguras uma versão de gestão central da DataTraveler 4000 para empresas que necessitam de cumprir os requisitos de segurança FIPS-140-2 Nível 2.

Os preços para a DTVPM variam entre os 31€ (2GB) e os 359€ (32GB) , necessitando ainda de uma licença SafeConsole. Já no caso das DT4000, os preços variam entre os 39€ e os 135€ (2 a 16GB). Preços sem iva.

2 comentários:

  1. Em Português deve dizer-se 'cifradas' e não 'encriptadas'
    http://blogs.fullsix.pt/2009/03/04/cifrar-vs-encriptar/

    ResponderEliminar
  2. @anónimo
    Isso seria tema de debate... :)

    Assim sendo, parece não haver motivos linguísticos (a não ser a sensibilidade linguística de cada falante) que impeçam a utilização de encriptar e derivados como sinónimos de cifrar e derivados
    [Flip]

    ResponderEliminar

[pub]