2011/04/06

Partilhar Internet é Ilegal em Portugal

Mais um exemplo de uma situação ridícula no nosso Portugal. De acordo com a maioria dos contratos com os fornecedores de acesso à internet, é ilegal partilhar a nossa ligação com terceiros.

Os operadores pretendem assim responsabilizar os seus clientes por qualquer uso "indevido" - o que não deixa de ser caricato, quando na maior parte das vezes nem permitem que os próprios clientes tenham acesso às páginas de configuração dos seus equipamentos; e muitos são os casos onde as passwords desses mesmos equipamentos são facilmente "hackáveis" (como poderão confirmar todos aqueles que passeiam pelas ruas em busca de um router thomson para aceder à net sem grandes complicações.)

Por outro lado, temos a situação caricata da Zon, que embora também diga que não se pode partilhar a net com ninguém, tem uma parceria com o serviço Fon, que consiste exactamente em... partilhar a ligação com os restantes membros dessa rede.


Por último, temos ainda que é praticamente impossível controlar quem ou quê acede à internet via uma ligação WiFi. Como pode um operador saber que tal acesso via WiFi tem origem num equipamento do cliente, ou do vizinho a quem cedemos a password, ou de um "intruso" na rua que conseguir hackar a ligação?

É mais uma das ilegalidades "pró-forma" apenas para dizer que sim... e que não tem qualquer validade ou utilidade no "mundo real".

Penso que todos teríamos a ganhar se todos esses contratos fossem obrigados a seguir a regra do Twitter: 140 caracteres no máximo! Isso sim... seria algo que devia ser obrigatório por lei. ;P

11 comentários:

  1. A validade das clausulas do contrato com um ISP só existe quando a mesma respeitar a LEI da nação.
    Por outro lado, uma qualquer alteração das clausulas só é válida com a aceitação das duas partes.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo6/4/11 12:41

    exacto! a parte do twitter é que devia ser válida hehe

    ResponderEliminar
  3. Sempre foi. Não há nenhuma *alteração* aos contratos.
    Vocês é que acordaram e descobriram a pólvora agora. :/
    Quanto à Zon está a dar tiros no pé com uma AUP e um serviço a contradizerem-se.
    E a nossa legislação nem é mazinha. Nas Canárias há quase uma década que a própria legislação proíbe explicitamente a partilha, independentemente do que os ISP acharem.

    Porque um dia que vos apareça a PJ para apreender o vosso equipamento, pq houve um esperto que usou a vossa wifi para fazer asneiras, qual vai ser o vosso argumento??
    "Há e tal...não fui eu."...
    Fiem-se na virgem. :)

    ResponderEliminar
  4. Anónimo6/4/11 13:40

    Não concordo! O serviço Fon não é partilha de ligação, mas sim do equipamento. Na realidade permitimos que o nosso equipamento emita um segundo sinal de ligação (que é totalmente opcional e independente do nosso sinal doméstico), sendo que o utilizador beneficiará de duas maneiras: ao manter a sua ligação FON ligada, poderá aceder sem limites a uma rede internacional de hotspots gratuita e ilimitada. Por outro lado, poderá beneficiar dos lucros (50%) das vouchers que forem comprados na sua ligação FON. Este sistema já é utilizado há muito em vários países, como a França, onde as leis são bem mais apertadas que aqui (lembra-se do ADOPI?).

    Só usa quem quer e quem opta por fazê-lo, tem a vantagem de ter hotspots e potenciais lucros sem qualquer prejuízo.

    ResponderEliminar
  5. To anónimo.
    Olhe que não.
    O equipamento é um produto FISICO e este não é DIVIDIDO/PARTILHADO com ninguém. Está sempre na casa do cliente do serviço FON e foi por si comprado (ou no caso da ZON pode ser do ISP ou do cliente). E inteiro, não "às partes".
    O que é partilhado é o serviço/ligação.

    ResponderEliminar
  6. exacto a partilha é da ligação à internet!

    ResponderEliminar
  7. carlos tens ai um erro:
    mesmo sem acesso administrativo ao router, tem sempre como mudar o nome da rede wifi.

    ResponderEliminar
  8. Penso que os ISPs tem (ou tinham) uma clausula no contrato que tambem diz/dizia que nao e possivel partilhar net para mais do que um computador (e nao estamos a falar de wifi, estamos mesmo a falar de "1 acesso por contrato") - nada de redes em casa.

    Alias, isto que falas e capaz de ser uma restea dessa clausula (que nao faz sentido absolutamente nenhum ja que os equipamentos deles tem, geralmente, multiplas portas ethernet e wifi) :oP...

    ResponderEliminar
  9. Parece-me realmente razoável não vejo o problema, o serviço é pra uma familia/casa não se poder partilhar parece-me razoável.

    ResponderEliminar
  10. ZON, you've just been owned. Again.


    Rui

    ResponderEliminar
  11. 1º- Usem a engenharia juridico-legal que conseguirem imaginar, mas a ZON vai alegar que a ligação FON, não é partilha da internet contratada pelo cliente. É opcional o uso da FON por parte do cliente.

    2- O registo da/na FON está sempre associado a um cliente(em PT=ZON; o uso do router LaFonera noutros ISP's é ilegal, pois ai sim é feita a partilha de net não autorizada)

    3- O acesso FON, nunca pode ser anónimo! Ou terá de ser feito usando o login de cliente(caso deseje usar um PA FON, ou o pagamento do acesso por cartão de crédito. Logo há 1 registo de quem esteve online, onde, e o que fez...

    ResponderEliminar

[pub]